Rússia assume controle da maior usina nuclear da Europa

Presidente da Ucrânia pede aos líderes mundiais que detenham as forças russas antes que se torne um desastre nuclear

Em meio às repercussões internacionais pela tomada de uma usina nuclear no sudeste da Ucrânia, as forças russas continuam com com operações militares no país nesta sexta-feira (4), nono dia da guerra.

A tomada do controle da usina Zaporizhzhia, a maior da Europa, aconteceu após um incêndio que durou quatro horas em um prédio de treinamento do lado de fora do complexo do reator principal. O Serviço de Emergência da Ucrânia controlou o fogo às 6h20 no horário local (1h20 no horário de Brasília). Os níveis de radioatividade não foram alterados, segundo informação do órgão regulador ucraniano repassada à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).
O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky acusou as forças russas de ataque intencional e pediu aos líderes mundias que a detenham antes que torne-se um desastre nuclear. Em contra partida, segundo o porta-voz do Ministério da Defesa russa, Igor Konashenkov, os russos acusam os rivais de sabotadores e que são os responsáveis dos incêndios.
Após a confirmação da ocorrência, havia o temor de que o fogo provocasse um vazamento de material radioativo, mas não foi reportado.

O porta-voz da usina de Zaporizhzhia, Andrii Tuz, afirmou que a central não sofreu nenhum dano crítico, embora apenas uma unidade de geração de energia entre seis esteja operando. Ainda declarou que, pelo menos uma unidade geradora de energia da usina foi atingida durante o conflito.

Destaques das últimas 24 horas

Putin diz que 3ª rodada de negociações acontecerá neste fim de semana

•Otan não implementará zona de exclusão aérea na Ucrânia, diz secretário-geral

•Após incêndio, tropas russas tomaram o controle da usina nuclear de Zaporizhzhia

•Níveis de radiação de Zaporizhzhia não sofreram grandes alterações, segundo a Agência •Internacional de Energia Atômica

•Presidente ucraniano pediu aos líderes mundiais que detenham as forças russas “antes que um desastre nuclear aconteça”

•Mariupol, no sul do país, ainda está sob controle ucraniano, mas “está cercada por forças russas”

•Banco Central da Rússia informou que a Bolsa de Valores de Moscou não vai operar nesta sexta, completando uma semana de inatividade

•Brasil autorizou concessão de visto humanitário para ucranianos

•Casa Branca anuncia sanções a “companheiros de Putin e seus familiares”

Números da guerra

Segundo informação das Forças Armadas da Ucrânia, até ontem (4), 9.166 russos perderam a vida no confronto. 251 tanques e 33 aeronaves não especificadas foram abatidas pelos ucranianos. Os russos também teriam perdido 37 helicópteros e 939 veículos blindados.

A Rússia não confirma os números. Informações do Ministério da Defesa russo divulgadas no dia 2 de março dão conta de 498 mortes confirmadas.

Há um monitoramento das mortes fora das forças armadas. O escritório de direitos humanos da ONU disse que 331 civis foram mortos e 675 feridos na Ucrânia desde o início da invasão. Entre os 331 mortos, estavam 19 crianças.

Explosão Antiga

Em 1986, a Ucrânia viveu o catastrófico acidente nuclear na usina de Chernobyl.O acidente ocorreu quando o reator quatro da usina nuclear dessa cidade explodiu, deixando o reator aberto e lançando grande quantidade de material radioativo na atmosfera.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail