Responsivo

Brasileiros temem perder seus empregos para Inteligência Artificial

Pesquisa recente revela preocupações sobre o impacto da IA no mercado de trabalho, mesmo reconhecendo os potenciais benefícios

Um estudo recente, intitulado Pesquisa Game Brasil (PGB 24), conduzido pelos grupos Sioux Group e Go Gamers em parceria com Blend New Research e ESPM, trouxe à tona preocupações e percepções dos brasileiros sobre a inteligência artificial (IA). A pesquisa, que ocorre anualmente desde 2013, busca compreender o perfil dos gamers e suas interações com a tecnologia, expandindo-se para explorar questões comportamentais relacionadas à IA.

A edição de 2024 da PGB investigou a presença da IA no cotidiano dos gamers, examinando suas percepções e apreensões sobre o assunto. Ao longo do período de 21 de dezembro de 2023 a 17 de janeiro de 2024, foram entrevistadas 13.360 pessoas em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal.

Preocupações

Entre os resultados mais significativos, destaca-se a inquietação predominante em relação à substituição de empregos pela IA. Cerca de 58% dos entrevistados expressaram temores quanto ao aumento da desigualdade social devido à substituição da mão de obra humana por ferramentas com IA. Paralelamente, 56,2% demonstraram receios em relação a um futuro saturado por ferramentas de IA generativas.

Contudo, a pesquisa revelou uma visão mais otimista em relação ao potencial da IA. Aproximadamente 67,8% dos brasileiros acreditam que as ferramentas de IA têm o poder de aprimorar o ambiente de trabalho, estimulando a criatividade e a produtividade. Adicionalmente, 59,5% dos participantes mostraram-se favoráveis ao uso de IA nas escolas e no processo educacional, vislumbrando sua eficácia para aprimorar a aprendizagem.

Estes resultados sugerem uma coexistência entre o medo da substituição de empregos e a confiança no potencial transformador da IA. Um estudo anterior conduzido pela Getty Images em outubro do ano anterior evidenciou que os brasileiros têm 15% mais interesse na inteligência artificial em comparação com outros países.

Ainda assim, é importante ressaltar que há uma crença difundida de que a IA não substituirá completamente a humanidade, possivelmente limitando-se a tarefas repetitivas ou desprovidas de nuances subjetivas.

Uso de IA

Além das percepções gerais, a PGB 2024 também explorou o uso da IA no cotidiano dos entrevistados. Cerca de 59,7% dos participantes afirmaram que a IA está integralmente integrada em suas vidas diárias. Adicionalmente, 58,7% relataram ter utilizado aplicativos de localização que fazem uso de IA, como Google Maps e Waze.

Outros exemplos de integração da IA na rotina dos brasileiros também emergiram na pesquisa. Cerca de 55,8% dos entrevistados já utilizaram bots de atendimento ao cliente e assistentes virtuais, como Siri e Alexa. Além disso, 27,3% experimentaram ferramentas de IA, como ChatGPT, para gerar textos, imagens e sons.

Em suma, os resultados da PGB 2024 destacam um cenário complexo de percepções sobre a inteligência artificial entre os brasileiros, evidenciando tanto preocupações quanto reconhecimento de seus potenciais benefícios. Este estudo serve como um indicativo importante para empresas e formuladores de políticas que buscam compreender o impacto e a aceitação da IA pela população brasileira.