VOCÊ SABE QUEM FOI FÉLIX FLEURY?

Em coluna anterior citei o fato de que pouco ou nada sabemos sobre os nomes das ruas da nossa cidade

Em coluna anterior citei o fato de que pouco ou nada sabemos sobre os nomes das ruas da nossa cidade e, pensando em ser útil aos leitores hoje abordo a via central conhecida como Rua Capitão Félix Fleury. No ano de 1901 chegou a Laranjeiras o 1º Batalhão de Engenharia, tendo como finalidade continuar o trabalho de instalação da linha telegráfica de Ponta Grossa a Foz do Iguaçu. O pequeno povoado, com uma incipiente estrutura, principalmente comercial, e localizado no meio do caminho, foi considerado ideal pelos militares. Comandava a expedição o capitão Félix Fleury Amorim da Rocha que, após instalar-se, adquiriu uma área de terras onde mais tarde foi fundada a Colônia Militar Marechal Mallet. Sobre esta transação imobiliária, o escriba teve acesso a certidão do Tabelião de Notas, Oficial do Registro Geral de Hipotecas e anexos, de Guarapuava, com o seguinte teor e com a ortografia original: Certifico que, revendo a pedido verbal o Protocollo e demais livros do registro geral de hypotheca da Comarca, no livro número treis, ás suas folhas duzentos e cincoenta e seis, encontrei a transcripção cujo theôr é o seguinte: NÚMERO DE ORDEM: Um mil oito centos e quarenta e treis. – Data. Vinte de março de mil novecentos e treis. FREGUESIA DO IMMOVEL: Guarapuava. DENOMINAÇÃO OU RUA DO IMMOVEL: Terras pastoris e agricolas na Laranjeira. CONFRONTAÇÕES E CARACTERÍSTICAS DO IMMOVEL: Uma parte de campo, matto de pastagens e cultura na Fazenda da Laranjeira, districto de Campo Real, neste Município, cuja parte de terra é para ser installada a sede da Colonia Marechal Mallet, fundada pela mesma comissão telegraphica. NOME E DOMICILIO DO ADQUIRENTE: Capitão Doutor Felix Fleury Amorim, Chefe da comissão constructora da linha telegraphica a Foz do Iguassu, morador neste Município. NOME E DOMICÍLIO DO TRANSMITENTE: Francisco Xavier dos Santos Pacheco e sua mulher Dona Leonidia Ferreira das Neves, moradores neste Município. VALOR DO CONTRATO: Duzentos mil reis. A certidão, cuja cópia me foi cedida pelo padre Silvano Zennari (im-memoriam) foi assinada pelo tabelião Alexandre Cleve.

 

PS. Quando da conquista do vasto território norte-americano com muitas lutas com os índios um engraçadinho teria escrito: Os selvagens desta terra são canibais insaciáveis, prova disso é que um sargento do general Custer foi comido pelos índios quatro ou cinco vezes.