É hoje o grande dia

A pandemia do coronavírus mudou muitas coisas na vida das pessoas e a principal delas foi a forma de comprar. Talvez seja por isso que a Black Friday deste ano seja a mais digital de todos os tempos. Além da tecnologia estar ganhando mais e mais espaço a cada ano, a pandemia criou uma demanda enorme, a de comprar sem sair de casa. Muitos comércios tiveram que se reinventar, contratar um serviço que nunca imaginaram precisar, o delivery. Imagine que até mesmo as lojas de roupas, de calçados agora em delivery. O cunsumidor, é claro, está adorando.
Apesar de grande parte das pessoas já não estarem mais tão preocupadas com o vírus, o ato de comprar online virou um hábito para muitos, senão por receio, por comodidade ou então por preço, já que os preços da internet são tão ou mais atrativos do que das lojas físicas em sua maioria. Como o comércio sofreu quedas enormes nas vendas nos últimos meses, a Black Friday é uma oportunidade para atrair clientes nos mais diversos setores.
Segundo pesquisas, o comércio de varejo não poderá oferecer descontos tão expressivos como em outros anos, isso devido à alta de dólar. Os maiores descontos devem ser percebidos em segmentos que tiveram as vendas represadas nos últimos meses, como o de roupas e de viagens. 
Mas diferente de outros anos, os eletroeletrônicos e eletrodomésticos deverão estar com o nível de estoque baixo, porque muitos consumidores já fizeram compras ao longo dos últimos meses. Microondas, aspiradores de pó, geladeiras e fogões foram muito vendidos, inclusive para a população de renda mais baixa, por causa do auxílio-emergencial concedido pelo governo.
A dica de especialistas para os empresários nessa Black Friday foi investir em mídias sociais, divulgar o máximo possível, dar visibilidade aos seus produtos, afinal a pandemia obrigou as pessoas a criar o hábito de procurar na internet tudo que precisam. Pesquise. Compare preços. Cuidado para não cair em golpes. E Boas compras.