Vai dar praia?

A economia brasileira esboçou uma boa reação no começo do último trimestre deste ano com o abrandamento das medidas mais restritivas de estados e municípios. Os empresários precisavam deste alívio e mostraram que sabem reagir e fazer a roda da fortuna gir

A economia brasileira esboçou uma boa reação no começo do último trimestre deste ano com o abrandamento das medidas mais restritivas de estados e municípios. Os empresários precisavam deste alívio e mostraram que sabem reagir e fazer a roda da fortuna girar quando há condições para isso.
No entanto, para muitos, esse abrandamento foi fator para descuido, e os números da pandemia voltaram a crescer. Em cidades em que houve um afrouxamento das medidas, foi necessário dar alguns passos para traz e voltar a impor algumas restrições. 
Com esse vai e vem, sobe e desce da curva é que estamos encerrando o ano de 2020. E final de ano, é comum e nesse ano apesar de toda a dificuldade, não será muito diferente.
A partir de hoje, veremos os noticiários destacarem as filas quilométricas nas rodovias que ligam ao litoral. 
Como muitas empresas, principalmente as de serviço dão férias coletivas no final de ano, é comum ver as praias lotadas entre final de dezembro até começo de fevereiro.
As praias do Paraná, por exemplo, estão abertas para os veranistas. E claro, tem muita gente que precisa disso para sobreviver. O setor de turismo precisa ser alimentado.
A questão não é não ir à praia. É se cuidar. Afinal, o vírus está circulado em todos os cantos do mundo.
Quem for viajar, procure respeitar as medidas sanitárias, praticando o distanciamento social e principalmente, usando máscara. 
A gente nunca sabe quando o vírus pode nos atingir. Se cuidem.