A importância da leitura e da análise do que se lê (2020)

O ano de 2020 foi bissexto (366 dias), mas, pareceu durar uma década. Foi um ano louco e exaustivo do

O ano de 2020 foi bissexto (366 dias), mas, pareceu durar uma década. Foi um ano louco e exaustivo do ponto de vista físico, mental e emocional. Como os dias eram de angústia (pandemia), foquei mais na literatura, deixando um pouco de lado os livros técnicos, me adaptei e mantive minha média anual de leituras. Costumo ler na casa dos setenta livros (pouco mais ou pouco menos), em 2020, li sessenta e sete. Algumas pessoas perguntam como consigo e, digo que não é nenhum feito, pois, conheço gente que lê bem mais que isso. Estabeleço metas diárias de leitura com no mínimo 30 páginas e, caso em algum dia não consiga alcançar o mínimo, procuro recuperar o atraso no dia seguinte. Busco aproveitar bem o dia, como não costumo ficar muito tempo diante da TV e/ou do computador, sempre há tempo disponível (mesmo que fragmentado).
    A leitura é para mim, relaxamento e prazer. A média de livros que leio é ao ritmo natural e não resultado de esforço, pois, se assim fosse sacrificaria o prazer da leitura. Penso que o número de livros que uma pessoa lê é menos importante do que a qualidade daquilo que ela lê. Eu não determino previamente a ordem dos livros a serem lidos e, geralmente após concluir um, escolho o próximo. Também costumo ler dois livros ao mesmo tempo (com temas diferentes) sendo um de leitura mais leve. Os livros são essenciais para o enriquecimento cultural de uma sociedade, pois, se a informação é obtida pelos diferentes meios impressos (jornais, revistas, etc.) e audiovisuais (telejornais, filmes, etc.), o conhecimento profundo, por sua vez, se obtêm com a leitura de grandes obras e autores. Os livros e a reflexão sobre estes e sobre a sua vivência tornam uma pessoa bem informada em uma pessoa culta. Sabemos que todas as pessoas possuem cultura, os livros são as ferramentas que alçam as pessoas a patamares superiores do edifício cultural.
    A iniciativa deste artigo não é a de se gabar, mas, a de inspirar. Algumas pessoas já me disseram que se iniciaram no hábito da leitura (ou a ele regressaram) ao ler as resenhas de livros que publico. Digo que também fui influenciado em tal sentido por mestres(as) que tive em toda a minha vida estudantil. Também foi assim quanto ao ato de escrever. A vida é uma troca entre gerações, apenas repasso as boas energias que recebi. No ano que passou em relação a autoria/continentes, assim foram as minhas leituras (valores aproximados): Oceania: 3%; Ásia: 6%; África: 8%; Europa: 20%; América: 63%. Das leituras de obras de autores americanos, a América Latina aparece com 75% e a América Anglo-Saxônica com 25%. Quanto a leitura de obras latino-americanas por país: Brasil: 90% (40% da leitura global); Chile: 7% e Bolívia 3%. Quanto a autoria/gênero das leituras realizadas: 75% sexo masculino e 25% sexo feminino. Janeiro foi o mês que li mais (11 livros) e o mês que li menos foi Maio (1 livro), sendo a sobrecarga de trabalho do EAD, responsável pelo baixo número deste mês. A partir desta análise, desejo ler em 2021 mais obras de autores latino-americanos (além do Brasil), africanos, asiáticos e, também mais obras de mulheres.  As dez melhores leituras foram: 1. E o vento levou; 2. Os Sertões; 3. A leste do Éden; 4. Quarto de despejo: diário de uma favelada, 5. A letra escarlate; 6. Matéria escura; 7. Memorial do Convento; 8. Recursão;  9. Matadouro cinco; 10. A peste. As menções honrosas foram para: A mulher de trinta anos; A ridícula ideia de nunca mais te ver; A sucessora; Angústia; As boas mulheres da China; O diário de Myriam; O estrangeiro; O grande Gatsby; Olhai os lírios do campo; O último dia de um condenado; Os sofrimentos do jovem Werther; Ratos e homens;  Rebecca, a mulher inesquecível; Terra sonâmbula. Em se tratando de boas leituras, foi um ótimo ano. Agora é escolher as leituras deste ano e aguardar a vacina! E você o que tem lido? Quais autores(as), continentes e países povoam a sua mente?
 

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail