Darcy Ribeiro, o melhor presidente que o Brasil nunca teve

Por Cynara Menezes   Como é que uma nação pode perder o amor por suas crianças? Como elas podem estar

Por Cynara Menezes

 

Como é que uma nação pode perder o amor por suas crianças? Como elas podem estar soltas no mundo, abandonadas? O Brasil não tem um bezerro abandonado, um cabrito. Um frango qualquer que você encontra, tem dono. Mas tem milhares de crianças abandonadas, lamenta Darcy Ribeiro no documentário Um Vulcão de Idéias (2007), dirigido para a TV Escola por Isa Grinspum Ferraz.

Um dos maiores desastres que a ditadura militar causou ao Brasil, em minha opinião, foi ceifar a carreira política do antropólogo Darcy Ribeiro. Ministro da Educação e da Casa Civil de João Goulart, Darcy teve seus direitos políticos cassados com o golpe. Tragicamente, as ideias que pretendia colocar em prática no governo Jango foram abandonadas –as chamadas reformas de base que ainda hoje fazem falta ao país. Se elas tivessem acontecido, em vez do atraso imposto por um governo fardado, a educação no Brasil seria outra. O Brasil seria outro.

Darcy voltou para cá em 1976, três anos antes da anistia, quando recuperou seus direitos políticos. Com Leonel Brizola, fez o projeto dos CIEPs, escolas em turno integral, realidade em qualquer país desenvolvido, mas não aqui, até hoje. O Brasil inventou essa bobagem de escola em turnos. As cidades cresceram e em vez de fazer mais escolas, faziam turnos, critica Darcy. A escola em tempo integral é a escola do mundo civilizado. Os bobos pensam que eu inventei os CIEPs. É bobagem. É impossível assistir ao documentário de Isa e não ficar impressionado com as ideias à frente de seu tempo de Darcy, que, um ano antes de morrer, em 1996, imaginem, já falava da internet como uma coisa prodigiosa, a coisa mais importante que já aconteceu na história humana.

Quanto mais escuto suas palavras, mais sinto uma saudade irreal do presidente maravilhoso que Darcy teria sido… Lula foi um grande presidente, mas ele deve saber que Darcy seria inigualável, sobretudo como sucessor de Jango. Um presidente com olhar para a terra, para os índios, os negros, para as crianças, para a educação, para o futuro. Para tudo que é preciso mudar no Brasil. Ou será que, por isso mesmo, nunca deixariam?

No início dos anos 1980, quando Darcy e Leonel Brizola falaram em socialismo moreno, um socialismo nosso, brasileiro, foram massacrados pelos jornais, ridicularizados. Nem governador do Rio de Janeiro Darcy conseguiu se tornar quando concorreu, em 1986. Imaginem o tamanho da perda: em seu lugar entrou Moreira Franco, apoiado pelas organizações Globo, que fizeram campanha incessante contra Darcy e Brizola. De maneira hipócrita, os mesmos jornais o homenageariam como grande brasileiro, sonhador que chegou ao poder, intelectual que fazia – quando morreu…Não deixem de assistir ao documentário, é imperdível para quem já conhece e para quem quer conhecer o pensamento deste grande brasileiro.

Fonte: http://www.socialistamorena.com.br/darcy-ribeiro-o-melhor-presidente-que-o-brasil-nunca-teve/ – acesso em 29 de Janeiro de 2019.