Trabalhar para o futuro

Jesus Cristo aceitava convites para visitar as casas dos moradores. Uma vez aproveitou um convite para dar uma importante dica.

Jesus Cristo aceitava convites para visitar as casas dos moradores. Uma vez aproveitou um convite para dar uma importante dica. É importante pois se refere a vida eterna: E disse também a quem o tinha convidado: Quando ofereceres um almoço ou jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes podem te convidar por sua vez, e isto já será a tua recompensa.  Pelo contrário, quando deres um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos!  Então serás feliz, pois estes não têm como te retribuir! Receberás a recompensa na ressurreição dos justos.  (Lc.14.12-14)

Nós vivendo no mundo materialista, nos preocupamos muito com as coisas materiais. Podemos dizer que toda a nossa vida gira em torno do trabalho para conseguir o dinheiro cada vez mais e mais. E assim acontece que para a vida espiritual não temos o tempo: não rezamos, não participamos na santa Missa, não nos confessamos, etc.   Jesus Cristo chama a nossa atenção. Nós vivemos por algum tempo aqui na terra. A nossa morada permanente está na outra vida, está na vida no Céu. Aqui passamos pelo teste de aprovação para a vida eterna no Céu. Vale a pena reunir riquezas para aquela vida, pois ela vai ser eterna. Aqui vivemos só por algum tempo e nada das coisas deste mundo vamos levar conosco. Mas o que fizermos pela vida espiritual, isto é, participando nos santos sacramentos, guardando os dez mandamentos de Deus, os cinco mandamentos da Igreja, vamos levar conosco para toda a eternidade. Vamos ficar ricos no Céu.

Jesus Cristo em outro lugar adverte: Não ajunteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e os ladrões assaltam e roubam.  Ao contrário, ajuntai para vós tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem, nem os ladrões assaltam e roubam.  Pois onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.  (Mt.6.19-21)

Esta última frase destaca que conforme é o nosso engajamento na vida cotidiana nós amamos as coisas materiais ou espirituais.  Se nos ocupamos muito com as coisas materiais então começamos a nos apegar a elas e assim o nosso coração até se apaixona por elas. E amor de Deus começa a se apagar. Isso seria uma derrota total, uma burrice.       

Ó Meu Bom Jesus! Que nunca aconteça, que meu amor ao Senhor se apague. Prefiro, morrer já quando o Senhor está no meu coração, do que viver muitos anos com o coração sem o Senhor. Por isso peço com as lágrimas nos olhos que me dê muitas graças da perseverança, que o mundo materialista não me seduza. Amém.