Coluna do Back

LUCRO IMEDIATO

Um fiel retrato da sociedade pós-moderna, conclui ser uma sociedade ávida pelos resultados rápidos, e sôfrega pelos lucros instantâneos. Nossas orações desejam um Deus que responda hoje, aqui mesmo. Queremos relacionamentos fortes, firmes e profundos de forma imediata. Queremos ser sábios lendo apenas um livro. Queremos maturidade sem dar tempo ao tempo. Queremos educação sem dor, sem suor, sem dedicação. Queremos plantar árvores, mas só aquelas que crescem muito rápido, não interessa se fazem bem ou mal ao meio-ambiente. Plantar soja, muita soja, que em poucos meses será colhida e faturada, se é que já não foi faturada antecipadamente. Engordar o boi no pasto, demora um pouco mais. Primeiro, vamos pensar nisso. Tudo passará, todos nós também passaremos. O que não passará é a fome e a sede de satisfação pessoal em tempo recorde. Estamos imersos na sociedade da gratificação imediata.

 

PREVIDÊNCIA DOS MILITARES

 O novo governo em Brasília quando levou ao Congresso a reforma da Previdência dos civis, sem a parte dos militares, o Congresso, que não é formado só de marinheiros de primeira viagem, preferiu aguardar a proposta completa e acertou em cheio. Na verdade parece que os militares não estão mesmo muito interessados com os problemas da Previdência. Naquele momento, viram que um dos seus se tornou Presidente da República e a oportunidade ideal para a sonhada reestruturação das carreiras, com aumento de salários e benefícios. Em tempos de paz, é muito bom ser militar no Brasil. Nosso país tem essa tradição. E os militares passam o tempo tranquilos nas casernas, se aposentando muito cedo, como é o caso do atual presidente capitão.

 

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

 Divulgou-se pelo país afora que o STF estaria sofrendo ameaças. Só não ficou bem claro de que classe. Mas se aconteceu, isso compromete a instituição e a democracia. Porém, até parece que a Corte é quem governa o nosso país. Basta acompanhar uma parte da imprensa que não esteja comprometida com o lado deles. A impressão que se tem é que nunca tivemos, um STF tão medíocre como o atual. Há um juiz que é empresário que viaja dez vezes por ano para a Europa, enquanto seus processos emboloram nas prateleiras à espera de julgamento. Também há um juiz trapalhão que, para libertar um criminoso seu amigo, concede hábeas corpus por atacado libertando outros milhares de alta periculosidade, numa atitude completamente irresponsável. Os moralistas pregam que, para ser respeitado, é necessário se dar ao respeito…

 

INEFICIÊNCIA DAS ESTATAIS

 Temos em nosso país 134 empresas estatais, dos mais diversos setores, entre elas dezoito que dão 15 bilhões de reais de prejuízo anual. Imaginem esse dinheiro abrindo creches, ampliando salas do SUS, dando computador às crianças da periferia? E o nosso governo, ainda está aquecendo os motores.

 Existem casos como de uma estatal que deveria produzir um chip para monitorar os rebanhos. O tal chip que é instalado na orelha do boi, nem é produzido no Brasil. Precisa-se de pessoas que estudem bem as empresas do governo. Algumas certamente poderão ser fechadas, outras vendidas, ou melhor: fundidas. Assim se faz no setor privado. É sabido que as empresas do governo nunca quebram. Sempre conseguem o amparo do dinheiro do contribuinte. As três estatais mais valiosas que temos (Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa) vão continuar existindo. Elas serão adaptadas aos novos tempos. Mais enxutas, mais profissionais e mais produtivas. As que não se adaptarem, deveremos vender, dizem membros do governo que ao que parece, ainda está se instalando.