Machismo, Bíblia e Religião

Bem no fim da década de 1950, portanto há muitos janeiros, eu era ainda adolescente e não entendia bem certas

Bem no fim da década de 1950, portanto há muitos janeiros, eu era ainda adolescente e não entendia bem certas coisas. Morávamos no interior do município de Itapiranga no extremo oeste catarinense e 12 quilômetros da sede. O município faz divisa com a Argentina e o rio Uruguai divide SC e RS. Itapiranga foi colonizado a partir do ano de 1920 por colonos alemães e seus descendentes vindos principalmente do Rio Grande do Sul. Na sua fundação deram o nome de Porto Novo. Junto com os pioneiros vieram também os padres jesuítas alemães, que lá permanecem até hoje. No local da primeira missa, onde desembarcaram os pioneiros, seus nomes estão cravados em uma lápide bem como do Padre Johann Rick. Bem, a minha intenção é escrever sobre minha adolescência e parte da juventude que passei por lá. Num belo domingo de manhã com dois cavalos, fui buscar meu pai Davi, que havia participado uma semana inteira de um retiro para homens pregado pelos rigorosos padres jesuítas. Ao lado do papai cavalgava meu tio-avô Johannes mais conhecido como Back João. Atrás deles ia eu com o cavalo emprestado do tio Lino. Lá pelas tantas, papai se dirigiu ao tio Johannes e lembrou: Se lembra tio, que o pregador falou que se uma mãe de família em período fértil ficar mais de um ano sem engravidar, ela vive em pecado? Logo me lembrei de mamãe que já tinha uns 8-9 e eu o mais velho. Minha irmã Neuza a 11ª nasceu quando já havíamos nos mudado para Medianeira-PR. Admiro-me até hoje, papai falar isso na minha presença. Ele talvez pensou que eu não tivesse entendido, mas eu ouvi bem. E tudo claro, em língua alemã. Era sim o conceito da Bíblia, que em algumas passagens descreve o homem como superior à mulher. Crescei, multiplicai-vos e povoai a terra. Ao voltarmos ao início da Bíblia, encontraremos no Gênesis, a ordem da criação acompanhada de versículos que se lidos com a intenção de exaltar o gênero masculino, reforçam a condição subalterna da mulher. E disse Deus: Não é bom que o homem fique só, criarei uma ajudadora idônea, auxiliar que corresponda ao homem. Alguém que ajude o homem como se fosse sua outra metade. Esse relato reforça a noção de que a mulher foi criada por causa do homem e está a serviço dele. Os argumentos fundamentais são o princípio da ordem da criação, o homem foi criado primeiro, e o princípio da ordem do pecado, a mulher foi enganada primeiro. Continuando sobre a primazia do homem na Bíblia: Primeiro foi formado Adão e depois Eva, e Adão não foi enganado, e sim a mulher, que, tendo sido enganada tornou-se transgressora.

 E como em São Paulo (antes Saulo): Vós mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor: porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da Igreja. Hoje, não pode mais ser assim. Precisamos ajudar os líderes religiosos a rever a maneira como a mulher ainda é tratada hoje, apesar de alguns trechos da Bíblia caminharem na direção oposta. A visão que a Bíblia tem sobre a mulher poderia ser correta em seu contexto histórico, mas hoje em dia o ambiente é completamente outro. As mulheres merecem um lugar de respeito. A Bíblia foi escrita há mais de 2.000 anos em um contexto machista, em questionamentos. Infelizmente, hoje ainda vivemos uma parte, mas existem movimentos que vão contra esse modelo de sociedade e buscam igualdade, inclusive nas igrejas. No entanto há pessoas que erroneamente usam a Igreja e trechos da Bíblia para justificar seu comportamento machista.