SEU GPS PESSOAL

(Steven Scott, escritor) Adoro o GPS (Sistema de Posicionamento Global por Satélite). Costumo me perder facilmente quando estou dirigindo. O

(Steven Scott, escritor)

Adoro o GPS (Sistema de Posicionamento Global por Satélite). Costumo me perder facilmente quando estou dirigindo. O GPS mudou tudo para mim. Em vez de ficar olhando para um mapa, uma bela voz feminina me guia com rapidez e eficiência até o destino que busco. Se pego a pista errada, ou perco uma saída ou um retorno, ela instantaneamente me diz que esta “refazendo minha trajetória”, e me leva aonde quero ir, apesar do meu erro.

Como o GPS funciona? Os satélites GPS simplesmente têm uma visão panorâmica perfeita do carro que estou dirigindo, da minha localização atual do meu destino e de todas as vias no percurso. Eles são capazes de calcular a melhor rota para mim. As vezes eu me afasto do caminho traçado ou me esqueço de ligar o GPS. Mas, quando estou perdido, eu o ligo, o sistema capta o meu sinal e rapidamente me guia por uma rota alternativa até onde quero chegar. Do mesmo modo, por meio do seu exemplo de vida, Jesus nos oferece um mapa da maneira como devemos viver e tratar as pessoas que nos cercam. Com suas palavras ele nos oferece um GPS que, quando devidamente seguido, nos guia passo a passo pelas oportunidades e adversidades da vida cotidiana. Quando não prestamos atenção em suas instruções e nos perdemos, indo parar em um lugar onde não queríamos estar, ele pode oferecer as instruções de que precisamos para voltar atrás e chegar ao nosso destino final.

Jesus falava usando uma linguagem que todos pudessem entender. Autodenominava-se o “Bom Pastor” e referia-se aos seus seguidores como seu rebanho. O que faz um pastor? Guia suas ovelhas até encontrarem alimento, água, abrigo e segurança. Toma conta delas. Jesus disse: “Eu vim para que tenham a vida e a tenham em abundância” (João 10:10). Ele veio para nos dar uma vida abundante. Como o GPS, ele não nos obriga a seguir seu caminho. Em vez disso, simplesmente o aponta para que possamos decidir se vamos ouvi-lo e segui-lo ou se vamos ignorar suas palavras e tomar nosso próprio rumo. Não me entenda mal. A “vida abundante” que Jesus nos oferece não se refere a riqueza material. Conheci pessoas ricas mais infelizes e “vazias” do que outras que tinham uma condição mediana. Jesus disse, “A vida de um homem não se consiste na quantidade dos seus bens” (Lucas 12:15). Sei de muitos que pensavam que sua insatisfação desapareceria se conseguisse um carro novo, uma casa nova, um novo conjugue, um cargo ou título, ou qualquer outra coisa que combinassem. Mas, assim que obtinham o que tinham lutado tanto para conseguir, descobriam que aquilo não trazia a satisfação que tanto almejavam. Como Jesus afirmou, o melhor que a vida tem a oferecer não pode ser encontrado em um objeto. Ele disse: “pois que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder-se ou destruir a si mesmo” (Lucas 9:25) se estamos perdidos em uma floresta, em um oceano ou em um deserto, que diferença faz nossa riqueza ou nosso patrimônio? Quando um homem morre em um acidente de carro, que diferença faz se foi em um BMW novo ou em um Chevrolet usado? Por outro lado, se uma pessoa é realmente feliz, realizada e segura, que diferença faz se ela é rica ou não?