A grande pergunta: o que foi que aconteceu?

Aconteceu que os pirulitos se transformaram em cigarros, a água em vodca, uísque, cachaça ou cerveja, as bicicletas em motos

Aconteceu que os pirulitos se transformaram em cigarros, a água em vodca, uísque, cachaça ou cerveja, as bicicletas em motos e os beijos em ficar com todo mundo nos rolês? Você lembra em que voar era o balanço bem rápido quando os pais empurravam? Lembra que proteger-se era colocar o seu kichute para jogar bola? Quando a pior coisa que podias pegar de uma pessoa eram piolhos? Lembra quando éramos apaixonados pela mãe. Lembras quando os ombros do vô eram os mais altos do mundo e a mãe era a nossa heroína?

Inimigos e acidentes

Quando o teu pior inimigo era teu primo, os problemas de velocidade eram causados por aquele que corria mais rápido. Guerra era somente um jogo e a única droga que conhecias eram as aspirinas e melhoral infantil? A dor mais forte que sentias era a dor dos teus joelhos ralados e um adeus significava somente um Até amanhã. Tudo isso era a coisa mais linda do mundo? Acontece que o mundo era um pouquinho melhor, porém nós fomos os responsáveis de que os valores se perderam ou foram invertidos, mas, também hoje temos respostas em nossas mãos, a oportunidade de fazer que as coisas mudem… mesmo que seja somente um pouquinho.

Redes sociais

A era fria da tecnologia ultramoderna tomou conta de toda a sociedade, adolescentes e adultos disputam a tapas espaços e aparelhos. Todas as pessoas conectadas nas ruas e lugares públicos, seres humanos das mais diversas camadas sociais que se transformaram em verdadeiros zumbis que podem sofrer um acidente gravíssimo a qualquer momento por estarem sempre abobados e distraídos muito com fones de ouvidos. Podemos começar a mudança pela nossa casa recuperando o valor da palavra, recuperando o valor da família, do abraço sincero, do agradecimento genuíno tentando ser aquela pequena luz no fim do túnel resgatando antigos costumes tão lindos, ingênuos quando as famílias se visitavam, tomavam chimarrão, cafezinho e sorriam juntos.

Alpendres, varandas e lareiras 

Tudo isso que falei acima me fez lembrar trechos da música do grande compositor padre Zezinho: Nos alpendres, varandas e lareiras, era ali que antigamente os pais ficavam, e os vizinhos visitavam, e as famílias conversavam, e as crianças a brincar. Era um tempo em que as famílias tinham tempo, era ali que antigamente os pais sonhavam, e os compadres proseavam, e as mulheres tricotavam, e as crianças a brincar. Eu não sou contra o progresso, Deus sabe que eu não sou. Mas eu acho que a família se deu mal, ao trocar suas conversas, de vizinhos e de lareira, por novelas e novelas, e mais novelas, e a violência na TV.

A minha caneta anotou

Os bons preços da Comercial Virmond em materiais de construção e tintas.  O bom atendimento e bons preços na Rede Lar de supermercados no comando da Olinda Cruschiak.  As boas ofertas da Glória Modas em roupas masculinas e femininas na rua XV de Novembro. O destaque do Marquinho, grande profissional da área farmacêutica em Laranjeiras do Sul, em sua farmácia sempre tem uma qualidade comprovada.  A última geração em tecnologia com a qual conta o laboratório Modelo da família Pavan para realizar os seus exames de análises clínicas. Confira em frente ao hospital São Lucas. Obrigado professora Nair Brustolin por sempre prestigiar as minhas colunas.  A simpatia e o bom atendimento do casal Luciano e Vanessa da Microlan informática além dos bons preços. Erva mate de qualidade para chimarrão e tereré você encontra nos produtos da erva mate Becker. O ambiente aconchegante o os deliciosos produtos da panificadora e confeitaria Fábrica Fornello. A animada festa junina oferecida aos funcionários, colunistas e colaboradores organizada pelos proprietários do jornal Correio do Povo do Paraná. Tudo estava muito bom com comidas típicas juninas, quentão e um chopp bem gelado,