Observatório

O ENTARDECER DA VIDA

Não tenho medo do que possa me acontecer no dia de amanhã, nem da morte, pois o futuro é um tempo que existe só no pensamento. Os meus piores medos sempre foram a doença e a velhice – se acaso ficar- mas aos poucos fui entendendo que a velhice talvez seja somente o sentimento profundo da perda irremediável do morrer de cada dia. Um dia todos nós iremos renascer de alguma forma, em alguma coisa ou talvez nós iremos misturar com as brumas do nada. A velhice é o preço que pagamos para continuarmos vivos.

NOSTALGIA

Muitas vezes você sente um vazio estranho na alma e vai para algum lugar bem distante, bem lindo, tentando fugir da solidão, de você mesmo, mas quando chega lá, deita na areia e olha pra imensidão do infinito, onde tudo é bonito e perfeito, você percebe que está mais sozinho ainda. Nesse momento você quer continuar fugindo, procurando por algum lugar que lhe cause algum tipo de alívio, mas não sabe mais pra onde ir, pois o problema não está no lugar e sim em você.

O MEDO NOSSO DE CADA DIA

O pior inimigo do homem é o medo. Temos medo da dor, do escuro, de perder o grande amor, de não passar no vestibular, de não se formar, de não arrumar emprego, de perder o emprego, do futuro, da velhice, da doença e o pior de todos os medos: a morte, mas por causa desse medo corremos atrás das coisas.

SOFRIMENTO E PRAZER

Nunca me esqueci de uma propaganda que vi na TV no Paraguai quando era adolescente. Um homem barbudo tipo ator de bang-bang, perdido no meio do deserto, suado secando o suor da testa com um pano branco poeirento. Na outra mão carregava uma maleta de couro, ele caminhava exausto quase caindo sob o sol escaldante, quando de repente avistou um bar no meio de deserto. Lá chegou morrendo de sede e foi pedindo um pacote de batatinhas salgadas bem secas, por um momento pensei que se tratava de um louco, comeu as batatinhas e continuou secando o suor, nesse momento colocou a maleta de couro na mesa e foi abrindo, lá dentro tinha uma Sprite de garrafinha tricando no meio do gelo, ele destampou a bebida e foi tomando aos goles que estufavam o seu pescoço. Era uma simples propaganda de refrigerante porém tinha uma mensagem muito interessante: quando a espera de alguma vontade ou meta for mais demorada e penosa, o prazer fica muito mais intenso.

A MINHA CANETA ANOTOU

O bom atendimento do casal Luciano Polônio e a sua esposa Vanessa, proprietários da Microlan informática. As ofertas diárias na Movelar I e II da família Guerra tudo em eletrodomésticos. O bom atendimento do gerente Carlos Zukoswki e da Olinda da Rede Lar de supermercados, além dos bons preços. A liderança da Comercial Virmond na área de construções e tintas.  Os bons preços e ofertas da farmácia do Marquinho onde a qualidade é comprovada.  Agradeço a jornalista Simone dos Santos e a sua mãe dona Divina que sempre prestigiam esta coluna. Qualidade total em análises clínicas é no laboratório Modelo da família Pavan em frente ao hospital São Lucas. O laboratório conta com uma tecnologia de ponta para todo tipo de exames laboratoriais com uma equipe de grandes profissionais. A alta qualidade em todos os produtos da Erva mate Becker para seu tereré e chimarrão. A dedicação no atendimento de todo o pessoal da Cirandinha modas e floricultura na rua XV no comando da empresária Neusa. O forte abraço ao meu grande amigo e artista  João Pio Andreetta que prestigia este espaço.