Gigante na Série Bronze, São Lucas tem metade do elenco vindo do sub-20

Para chegar à Série Prata, o CAC tem pela frente um concorrente e tanto. O São Lucas é o gigante

Para chegar à Série Prata, o CAC tem pela frente um concorrente e tanto. O São Lucas é o gigante desta temporada da Série Bronze. O clube de Paranavaí, com mais de 40 anos de atividade, disputou a Série Ouro do Paranaense de Futsal desde a criação desta, em 1995. Em 2019, a equipe foi rebaixada pela primeira vez, mas a diretoria abriu mão da Série Prata e, num processo de reestruturação, optou pela disputa da terceirona.

O São Lucas já revelou craques tanto para o futebol – como os laterais Danilo Avelar e Zeza – quanto para o futsal – o ala Bruno, hoje no Carlos Barbosa. Com uma base forte e diante da perda de recursos, os diretores decidiram apostar na juventude neste estadual. Metade do elenco comandado por Carlos Giuliano é formado por atletas sub-20. 

Na primeira partida das quartas de final, em Cantagalo, o São Lucas perdeu para o CAC por 2×1. O adversário, PHD em Série Bronze, também tem um elenco caseiro, mas experiente. Carlos Giuliano disse que, até o confronto, conhecia pouco sobre a cidade onde o adversário está sediado. “Conhecia Cantagalo pois joguei com o Bagre no Foz e no Londrina, já que ele é de lá. Os  jogadores eu não conhecia, mas ouvi dizer que o time era organizado e perigoso. Eles têm atletas experientes e vimos isso no primeiro jogo. Eu espero o acesso, fazer um bom jogo. Dentro de casa precisamos buscar a vitória”.

Para ir à semifinal, o São Lucas precisa vencer no tempo normal por qualquer placar para forçar a prorrogação. Depois, basta um empate. Os paranavaienses têm a 2ª melhor campanha do estadual e podem, mesmo se eliminados, conseguir o acesso, desde que terminem a fase na 5ª ou na 6ª colocação. 

 

 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail