Operário x CAD: Baiano visita Laranjeiras pela 1ª vez e revê o amigo Luciano Bonfim

Para o duelo, válido pela 8ª rodada da Série Prata, o Rubrão terá dois desfalques. Com a vida “resolvida”, guarapuavanos pouparão seis atletas

O universo dos esportes possui suas celebridades. Só que, geralmente, são os atletas o centro das atenções. Geralmente. Pois na noite desta quarta-feira (23), a partir das 19 horas, no Laranjão, o duelo entre Operário Laranjeiras e CAD terá nas áreas técnicas os personagens mais ilustres.
Luciano Bonfim, da casa, e Eduardo Coelho, o ‘Baiano’, do time guarapuavano, são dois dos maiores nomes da história do futsal paranaense. O primeiro marcou época como técnico do São Lucas de Paranavaí e também fez sucesso comandando o Foz Cataratas e o extinto Keima, de Ponta Grossa. No ano passado, dirigiu pela primeira vez um time na Série Bronze – o próprio Operário -, sagrando-se campeão. 
Enquanto isso, Baiano é simplesmente o treinador mais vencedor de Séries Ouro. São quatro: quatro pelo São Miguel e duas pelo CAD. Ele retornou ao clube de Guarapuava neste ano, com a missão de conduzi-lo de volta ao sucesso. 


Só que, além de figuras influentes da modalidade, os dois são amigos de longa data e já trabalharam juntos. Quando Luciano atuava como atleta, na década de 2000, eles estiveram juntos no Toledo e na Copagril
Da convivência, nasceu a admiração profissional e a amizade, que mesmo com a distância segue intacta.
“Quando o Eduardo foi para São Miguel pela primeira vez, eu jogava uma Taça Brasil em Pato Branco e ele foi ver um jogo nosso lá, para observar e pensar a montagem do São Miguel. Acabei indo para Foz, mas foi este nosso primeiro contato. Depois, trabalhamos juntos por três anos em Marechal. Aprendi muito. Ele sempre teve um jeito de conduzir o grupo com transparência, procurando ajudar no desenvolvimento dos atletas. Da parte profissional, nasceu a amizade. Nossas famílias se conhecem e ele já foi na minha casa, apesar de fazer anos que não tomamos um café. Será bom revê-lo de perto”, conta Bonfim. 

Os dois já duelaram como técnicos. Numa das últimas ocasiões, protagonizaram campanhas histórias. Era 2017. Baiano comandava o Marreco e Luciano o Foz Cataratas. Os clubes chegaram à semifinal da Liga Nacional – a melhor campanha da história de ambos -, mas perderam a vaga na sonhada decisão para Assoeva/RS e Joinville/SC, respectivamente. 

“Tenho um respeito imenso pelo Luciano, como técnico e também fora do trabalho”, diz Baiano. 

O jogo

Luciano Bonfim não poderá contar com Marcelo Bigode e Nico/Foto: Juliam Nazaré

Ambos classificados para a 2ª fase, Operário Laranjeiras e CAD vivem um bom momento na Série Prata, cada qual com sua perspectiva. O Rubrão lidera o campeonato. Os guarapuavanos são 6º. 
Baiano, inclusive, comemorou a classificação: o primeiro grande objetivo da temporada. “Não estou satisfeito com a campanha, mas com a evolução do time. O único jogo em que destoamos foi contra o Pitanga onde, como já disse antes, fomos engolidos. Contra Mariópolis, Bituruna e Pinhão poderíamos ter alcançado vitórias, mas faltou-nos competência. Agora, queremos ser a ‘surpresa’ na semifinal do campeonato”. 

O CAD perdeu nos últimos dias o goleiro Lucas Santos, que rumou para o Campo Mourão. Apesar disso, o treinador acredita no potencial do substituto: Victor Hugo. “Ele também é bom. Com a contagem de jogar bem muito bem com os pés”. 

Como não corre riscos, Baiano poupará seis atletas neste duelo. Os alas Tiago e Gabriel e os fixos Bisqui e Oliveira ficam em Guarapuava se recuperando de desgaste físico. Os alas Lustosa e Andrei não viajavam, já que estão estão retornando de lesão. 

O jogo de hoje marcará a primeira visita de Baiano à Laranjeiras do Sul. “Não conheço a cidade, apenas passava por ela quando ia para o oeste do estado. Até porque, nunca tiveram um clube do nível do Operário”. 

Pelo lado do Operário, Marcelo Bigode, suspenso, e Nico, em recuperação, desfalcam a equipe. São Pedro e Raylson, após longo período fora, podem estar à disposição do técnico.