Paraguai: saiba como funciona o futsal por lá e conheça o integrante brasileiro da seleção guarani

Elenco do técnico Carlos Chilavert tem apenas três jogadores atuando fora do país. Conheça os principais clubes e o retrospecto em competições

Por Juliam Nazaré

O Paraguai é um parceiro histórico do Brasil em muitos aspectos, desde a economia ao esporte. No futsal, os vizinhos têm nos brasileiros uma referência e um aliado na troca de experiências. Fernando Ferretti, consagrado treinador em Santa Catarina e hoje integrante da Seleção Brasileira, treinou “Los Guaraníes”, como é conhecido o time nacional. O fixo Neto Veiga, do Marechal, é naturalizado paraguaio. 

O brasileiro do Paraguai

No atual plantel paraguaio, o representante verde-amarelo é o preparador físico Maiquel Borth, de 39 anos. Ele é gaúcho de Cachoeira do Sul e no Brasil trabalhou em três clubes: Cachoeiro/RS, Vento em Popa/BA e Joaçaba/SC. Passou pelo futsal dos Emirados Árabes e trabalha no Paraguai pela segunda vez. “Gosto de morar aqui. As pessoas são acolhedoras. Eles reconhecem a qualidade dos profissionais brasileiros e a relação é ótima. Prezam por esse intercâmbio. Estou muito feliz”, diz. 

O gaúcho Maiquel Borth é o preparador físico da Seleção Paraguaia. Foto: Jazmin Ruiz Dias
Galo e Rubrão na rota paraguaia

Nas últimas semanas, os paraguaios convidaram dois clubes paranaenses para amistosos em Luque, na região metropolitana de Assunção. Dois Vizinhos e Operário Laranjeiras, que não integram a Liga Nacional, mas são considerados os mais emergentes do estado – toparam o desafio. Os jogos servem de preparação para a Copa do Mundo da modalidade, agendada para setembro, na Lituânia, leste europeu. 

“Outras seleções não conseguiram vir ao Paraguai em razão da pandemia. Nosso treinador, Carlos Chilavert,  tem muitos contatos no Paraná e indicaram para ele o Galo, que nos falou do Operário”, revela Maiquel.

Até aqui, apenas empates: 0x0 e 2×2 entre os donos da casa e o Dois Vizinhos, nas disputas dos dias 12 e 14 de agosto. O Rubrão, por sua vez, ficou no 0x0 no domingo (22) e repete o compromisso às 10 horas desta terça-feira (24). 

Na opinião do preparador de goleiros, os clubes brasileiros são garantia de dificuldade pela frente, o que é bom para quem se prepara. “Às vezes você joga com uma seleção que está sem treinar e que não impõe tanta dificuldade quanto um time como o Operário e o Galo, com jogadores rodados e entrosados.”

“Los Guaraníes” iniciaram a preparação física há dois meses, mas os primeiros testes com bola rolando foram diante dos times paranaenses. 

O futsal na terra de Solano López

A Associação Paraguaia de Futebol administra o futebol de campo e também o futsal. Enquanto no país os estaduais são o ponto forte da modalidade, na terra de Solano López é o campeonato nacional que mais chama atenção. Diferente da Liga Nacional do Brasil – onde os clubes precisaram comprar ou alugar uma vaga para disputar, no Paraguai o certame é mais democrático. São duas divisões. Na primeira, os times disputam dois torneios: Apertura e Clausura. Os vencedores de ambos disputam uma final onde é conhecido o campeão da temporada. Entre os maiores clubes das quadras, dois gigantes dos gramados: Cerro Porteño e Olimpia. Afemec e Colonial são outras camisas de destaque. 

Mundial: adversários e retrospecto

A Copa do Mundo de Futsal da Lituânia começa no dia 12 de outubro e conta com 24 países. Nas eliminatórias, o Paraguai se classificou em 3º, atrás de Argentina e Brasil. 10º no ranking mundial, a equipe está no Grupo E, ao lado de Angola, Espanha e Japão. Na história, os melhores desempenhos do time foram os vices da Copa América em 1998, 1999 e 2015. Em Copas, alcançou o ápice na última edição, em 2016, quando foi 7º. 

Elenco da Seleção Paraguaia
Cholo Salas: craque de “Los Guaraníes”. Foto: Jazmin Ruiz Dias

A Seleção Paraguaia concentra em Luque 19 atletas. Destes, apenas três atuam fora do Paraguai: Ricahrd Rejala (17 de Agosto/ARG), Javier Salas (Pessaro/ITA) e Juan Salas (Pozo Murcia/ESP), considerado o craque do time. Oito jogadores defendem o Cerro Porteño: Enmanuel Ayala, Gabriel Ayala, Alan Rojas, Arnaldo Báez, Francisco Martínez, Jorge Espinoza, Giovanni González e Alcides Giménez. Cinco jogam no Colonial: Carlos Espínola, Damián Mareco, Hugo Martínez, Diego Poggi e Alex López. Completando a lista, Gabriel Giménez e Pedro Pascottini atuam no Villa Hayes, enquanto Juan Pedrozo pelo Afemec. 

Destes, 16 serão convocados em definitivo para embarcar para a Europa, no dia 31 deste mês. Antes da Lituânia, os guaranis fazem dois amistosos contra a Seleção Portuguesa, em terras lusitanas. 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail