Responsivo

Casinha de doação de livros criada por professora há dois anos promove o amor pela leitura

Dona Sonia Regina Carvalho Pavlak, lecionou arte e português, e agora transforma calçada em espaço de troca literária para comunidade.

Dona Sonia Regina Carvalho Pavlak, nascida e criada em Laranjeiras dedicou-se profissionalmente a educação durante 30 anos de magistério. Cumprida sua missão profissional, ela desejou fazer ainda mais e encontrou uma nova maneira de contribuir para a educação e cultura local.
Ela promove o amor pela leitura e o compartilhamento de conhecimento na calçada em frente à sua residência.
Fez uma casinha de madeira repleta de livros que convida todos que por ali passam a participarem de uma troca literária gratuita.

Inspiração
“Andando nas praias de Santa Catarina, visitei uma casinha com livros, que assim como minha, dizia: ‘pegue, leve, lei e devolva”. Como eu gosto muito da arte, quis dar uma melhorada na ideia que me inspirou. Pedi para o Bortolotto fazer uma casinha de madeira, pintei e minha casinha ficou essa beleza que eu sou apaixonada”, compartilha Sonia, entusiasmada com o projeto que ganhou vida própria e se tornou um ponto de referência para os amantes de leitura que por ali passam.
Inaugurada em novembro de 2021, durante as comemorações do aniversário de Laranjeiras do Sul, a ‘Casinha de Livros da Vó Sonia’ já completou dois anos de existência, simbolizando não apenas um gesto de generosidade da professora, mas também um convite à reflexão sobre a importância da leitura na vida de todos.

Desejo
Sonia expressa sua esperança de que sua iniciativa inspire outras pessoas a replicarem o projeto em diferentes locais: “Eu espero que essa minha casinha seja uma inspiração para que surjam novas casinhas em Laranjeiras e até em outros lugares, outras cidades. Para que as pessoas peguem os livros, leiam, devolvam, tragam outros, e assim, muitos outros possam ler. Porque a leitura é tudo. Enquanto você lê, você viaja, você contempla as palavras, contempla a leitura. Quem lê, adquire conhecimento, fala melhor, escreve melhor. A leitura é tudo de bom”.

Ler e devolver
No entanto, nem tudo são flores no caminho da troca literária. Dona Sonia relata que nem todos os livros retornam à casinha após serem retirados. “A intenção é que as pessoas peguem o livro, levem pra casa, leiam e o devolvam. Mas, infelizmente, isso não está acontecendo. As pessoas levam e não devolvem. Mas, tudo bem. Desde que elas passem pra frente esse livro, para que outras pessoas também possam ler”, diz ela, demonstrando compreensão.

Impacto
Segundo ela, o impacto positivo do projeto é evidente. Mesmo sem um controle nas doações, dona Sonia estima que inúmeras pessoas já foram beneficiadas pelos livros doados, pois, os livros estão sempre chegando e saindo. Ela também enfatiza a importância de continuar alimentando a casinha com novas contribuições. “Quando me aposentei eu doei para os meus livros didáticos para o Colégio Gildo. E os livros de literatura e poesia que eu ainda tinha em casa, doei colocando na casinha. E todos já foram”. Explica.

Multiplicar
Porém, Sonia não está sozinha em sua missão de espalhar o amor pela leitura. Ela faz um apelo à comunidade para que se envolva na iniciativa, especialmente no que diz respeito à doação de livros infantis: “Essa casinha de livros, foi um presente meu para Laranjeiras do Sul. Porque sou muito grata a essa terra. Amo viver aqui, onde nasci, cresci, e trabalhei por 30 anos como professora. Hoje, aposentada, continuo buscando o conhecimento e tentando levar a todos tudo o que eu puder de conhecimento para que as pessoas se tornem cada vez melhores como seres humanos, através do conhecimento.”
Segundo dona Sonia, sua casinha de livros, busca não apenas proporciona acesso à leitura, mas também inspira a comunidade inteira a valorizar o conhecimento e a cultura. “Ler um livro é mágico. Folhear, sentir o cheiro do livro, admirar as palavras, contemplar a escrita é poético”. Finaliza a professora.