Endermoterapia: procedimento promete o fim da celulite

A celulite é um dos casos que mais incomodam as mulheres quando se trata do corpo almejado e influência bastante

A celulite é um dos casos que mais incomodam as mulheres quando se trata do corpo almejado e influência bastante na autoestima.

Atualmente, há vários tratamentos para amenizar e tratar a celulite e a gordura localizada quee oferecem ótimos resultados. Um deles é a endermoterapia.

A esteticista Amanda Yasmin Merhet de Macedo, explica que a endermoterapia promove a melhora na circulação sanguínea e elimina a retenção de líquidos, pois a massagem é direcionada ao sistema linfático. Ela também molda o corpo e torna a pele mais brilhante e macia. “Estimula os fibroblastos na derme camada mais profunda da pele a produzir colágeno que é o responsável pela firmeza”, diz a esteticista.

Como funciona

Segundo ela, a endermologia é uma técnica que consiste na realização de uma massagem intensa com um aparelho específico apelidado de “endermo”, que “suga” a pele, promovendo o deslizamento e descolamento da pele da camada de gordura e da fáscia que recobre os músculos.

Diferentemente de outros tratamentos estéticos, que envolvem aplicações de substâncias, punções e outras técnicas invasivas, a endermoterapia consiste no contato de um aparelho massageador que proporciona a sucção sobre a pele.

Benefícios


A técnica tem vários benefícios, como: Ajudar no pós-cirurgia plástica; auxiliar na pós-lipoaspiração; combater a retenção de líquido; desfazer fibroses; deslocar cicatriz presente em cesariana; melhorar a silhueta; tonificar a pele; além de tratar a celulite fibrótica, cicatrizes de queimaduras, estrias e melhora o contorno corporal.

Sessões

A esteticista indica a quantia de cinco sessões, sendo uma por semana, mas, em casos de graus mais evoluídos de celulite o indicado são duas sessões semanais. Para mostrar um resultado bom, é necessário realizar uma avaliação individual. Pode variar de 5 até 20 sessões, dependendo o caso, e dos objetivos do tratamento, bem como o tamanho da região que precisa ser tratada.

Quem não deve fazer


Amanda relata, que o tratamento não é indicado para pessoas com fragilidade como: fragilidade muscular e de tecido; com a presença de varizes, flebites, trombose ou que façam uso de anticoagulantes; com tendência à vasodilatação; pessoas com dificuldade de recuperação tecidual; presença de feridas, lesões, ranhaduras; gestantes; hipertensos descompensados e diabéticos.

Confira a seguir o depois e o antes do tratamento realizado pela esteticista: