Luta pela causa animal avança em Laranjeiras e vereadores solicitam criação de canil

No dia 16 de agosto, a Câmara de Laranjeiras do Sul recebeu os protetores individuais Maira Sartori e Edilson Mesquita,

No dia 16 de agosto, a Câmara de Laranjeiras do Sul recebeu os protetores individuais Maira Sartori e Edilson Mesquita, inscritos para fazer o uso da palavra pelos vereadores Celso Azevedo e Ivaldonir Panatto. Eles manifestaram preocupação, especialmente em relação à cães, gatos e cavalos; apresentando alternativas e entregando uma carta aberta que dava ênfase ao clamor da sociedade civil organizada em relação ao tema.

“São cães e gatos, mas já encontramos cavalos e galos. A maioria considera um problema da cidade, mas não é. A zona rural é usada para despejo de animais. Isso provoca um sério problema, pois ele é solto num local onde ele domina ou é dominado por matilhas que moram naquela região, ou são sacrificado pelos animais ou pelo proprietário do local”, explicou Edilson.

Nesse sentido, atendendo as solicitações e diante da presença constante de animais de rua em Laranjeiras, que são, muitas vezes, vítimas de maus-tratos e abandono, os vereadores pediram, ontem (24), ao Poder Executivo que construa um canil municipal. Conforme o pedido, realizado por meio da indicação 281/2021, dos vereadores Darci Massuqueto e Ivaldonir Panatto, o objetivo é criar um abrigo a fim de monitorar a população de cães e controlar a proliferação de doenças.

Respondendo as solicitações

Dentre as solicitações expostas no dia 16 estava a necessidade de se castrar gratuitamente as fêmeas, pois, segundo Maira, não existe alternativa eficaz sem o controle populacional de cães e gatos. “Nossa meta sempre foi um projeto permanente de castração de fêmeas, estruturado e coordenado com o poder público, com o apoio da sociedade e dos protetores”, ressaltou Maira.

Massuqueto e Panatto, lembraram que, apesar de o canil não resolver todo problema, será um suporte importante para o atendimento e acolhida temporária dos animais, que incluirá a castração das fêmeas.

“Esse é um trabalho que necessita de iniciativas conjuntas, pois o canil deve caracterizar um espaço de atendimento veterinário, mas o local precisa ser de passagem para os animais, pois com apoio da sociedade, eles podem posteriormente ser adotados”, sugeriram. “Por isso é importante realizar, em conjunto disso políticas de conscientização contra o abandono”, continuaram.

Os vereadores, que compõem a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), também reafirmaram total apoio à criação do Conselho Municipal de Proteção e Bem-Estar Animal, cujo projeto recebeu aprovação unânime pela CCJ nesta semana. “Apoiamos a causa porque entendemos que o número de cães e gatos em situação de abandono no município, principalmente quando comparado a outros centros, é muito alta”, concluíram.