“Só queremos a Tamires de volta, sã e salva”

Em nota, prefeito Berto Silva, pai da jovem, desmentiu informação sobre pedido de resgate e disse que ainda não se sabe sobre o desaparecimento da filha

5 dias. Esse é o tempo que Tamires Regina Gemelli da Silva Mignoni está desaparecida. Filha do prefeito de Laranjeiras do Sul, Berto Silva, e de Eliza Gemelli, ela teria sido levada ao sair do trabalho, por volta das 13h30, em Erechim, Rio Grande do Sul.
Como ela não apareceu em casa, o marido Lucas Mignoni procurou a polícia. Conforme um vídeo de monitoramento, ela foi abordada quando pegava seu carro estacionado do outro lado da rua do posto.
Uma testemunha relatou ao Jornal Bom Dia, de Erechim, que dois homens estavam encostados no muro, próximo ao carro dela e seriam eles que teriam levado-na. O carro de Tamires foi encontrado 4 horas depois, cerca de 7 quilometros do posto de saúde.
À imprensa de Erechim, a polícia pediu que “é preciso entender que se trata de um caso extremamente diferenciado de outros fatos policiais. Não é o momento de informar aos cidadãos, mesmo com todo o direito de saberem dos fatos, como forma de contribuir com a investigação e preservar a vida da vítima. A polícia vai, tão logo isso termine, dar todas as informações pertinentes”. O Correio do Povo tentou contato com a polícia de Erechim, mas não obteve sucesso. 

Resgate?
No final da tarde de domingo a informação de que os sequestradores teriam entrado em contato com a família e pedido R$ 2 milhões pelo resgate dela teria sido dado por um irmão de Berto a uma rádio de Foz do Iguaçu. No entanto, na manhã de ontem, o prefeito enviou uma nota à imprensa, desmentindo tal informação.
Conforme ele, até agora ainda não se sabe sobre o desaparecimento da filha. 

Confira a nota na integra: 

    Com o coração dilacerado e envolvido num sentimento de angústia que não cabe mais no meu peito, me dirijo à população de Laranjeiras do Sul para agradecer as manifestações de carinho proferidas a mim e à Eliza por conta do desaparecimento da nossa filha Tamires Regina Gemelli da Silva Mignoni, na última sexta-feira, 16 de outubro, em Erechim, no Rio Grande do Sul, onde ela atua como médica.
          Aproveito para pedir encarecidamente a todos que não repassem informações inverídicas sobre o caso. O sensacionalismo e as notícias falsas só atrapalham neste momento. Nossa filha está desaparecida. É só o que sabemos. Não sabemos onde ela está, como ela está e como se deu seu desaparecimento. Não confirmo essa notícia que espalharam de que sequestradores teriam pedido recompensa para libertar a Tamires. 
         Por favor, não compartilhem isso. Não autorizei absolutamente ninguém a falar em meu nome. Além de mim, somente a Eliza e o nosso genro Lucas têm autonomia para comentar o caso, mas não estamos fazendo. Nós só queremos a Tamires de volta, sã e salva. Continue nos ajudando, por favor, apenas com sua oração. Ela está nos mantendo em pé neste momento. Deus lhes pague.