Responsivo

Terraplanagem da Agro Laranjeiras deve acontecer em breve

Em reunião para apresentar o andamento da empresa aos vereadores, os diretores afirmam que após concluir a etapa ambiental, o próximo passo é a licitação e abertura do terreno

Na manhã de ontem (15), a Câmara de Vereadores de Laranjeiras do Sul foi sede de uma prestação de contas da Agro Laranjeiras, empresa que promete revolucionar o mercado de matrizes suínas do Brasil. Com projetos anunciados em 2020 e parceria garantida com o governo municipal e estadual, os cinco diretores esclareceram os próximos passos da empresa. “Seguindo os processos ambientais, tivemos liberações importantes na última semana e ao concluir esta etapa, mediante licitação iniciaremos a terraplanagem do local”, disse um dos diretores, João Marcel Mulineth Fausto.

Licenças ambientais

A questão das licenças ambientais foi um dos pontos destacados durante a reunião, já que é um empreendimento sustentável desenvolvido sobre conceitos de Governança ambiental, social e corporativa (ESG). O diretor responsável pela parte ambiental da empresa, Maciel Baptistel, enfatizou a importância da estrutura logística e legal para projetos de grande porte. Ele ressaltou o compromisso da Agro Laranjeiras com a qualidade e eficiência na entrega, trabalhando com profissionais e empresas capacitadas para garantir uma abordagem ágil e sem excesso de burocracia. “Prezamos por qualidade e a entregamos sempre”.

Ele mencionou os desafios enfrentados durante o processo, incluindo exigências operacionais que foram devidamente controladas. No entanto, celebrou a conquista de licenças cruciais, como a autorização para retirada de árvores e a licença prévia para a implantação do projeto. “Apesar dos percalços, estamos dentro do prazo estabelecido e seguindo todas as normas e licenças. O processo é demorado, principalmente considerando o tamanho da empresa e toda a burocracia, mas daremos segmento agora, com a terraplanagem”, completa Baptistel.

Transparência

O diretor João Marcel Mulineth Fausto destacou a importância da transparência na comunicação para demonstrar a legalidade e o andamento da empresa. “Estamos desde 2020 trabalhando de forma legal, sempre visando a implantação da Agro Laranjeiras. É moroso o processo, mas ainda assim evoluímos muito”, disse ele.

Além disso, ele também explicou a estrutura societária da empresa, com cinco sócios fundadores e investidores que participam de forma mais indireta visando retorno financeiro. “Todos possuem experiência na área da suinocultura, exceto um, que possui expertise financeira e nos apoia nesse sentido. Esses sócios fundadores estão integralmente envolvidos no projeto. Também contamos com sócios investidores, que participam de forma mais indireta. Além disso, temos parceria com empresas grandes como a Embrapa, mais de 170 fornecedores, 25 empresas contratadas 459 profissionais de diferentes ares e especialidades e 15 fornecedores para a fábrica de rações”, completa Fausto.

Parceria com o legislativo e executivo

O presidente da Câmara, Carlos Alberto Machado (Magrão), destacou o compromisso da empresa com a qualidade de entrega e explicou que estão trabalhando com profissionais e empresas contratadas para garantir que todas as exigências dos órgãos fiscalizadores sejam cumpridas de forma eficiente e sem burocracias excessivas. “A empresa superou desafios e obteve duas licenças fundamentais: a licença para a retirada de árvores e a licença prévia, que autoriza a área para a implantação do projeto. Além disso, foram atendidos 28 requisitos para o protocolo da licença de instalação, e toda a documentação necessária foi protocolada. Agora, estão aguardando a liberação dessa licença para iniciar as operações, que incluem a terraplanagem e a execução das obras. Tudo está dentro dos conformes”, disse ele.

A empresa

A Agro Laranjeiras visa a produção de leitões, criados até os 28 dias de vida. Depois, os animais serão levados para empresas parceiras, que cuidarão da engorda para o abate em frigoríficos. A estimativa é produzir 20 mil leitões desmamados por semana. O abate anual de suínos, está previsto em 1.031.573. A produção de carnes e derivados em toneladas por ano é estimada em 103.157.

A Agro Laranjeiras será construída em uma área de 3.386.388,51 m². A área de implantação do projeto será de 920.289,55 m². No local serão construídos um núcleo de creche e recria (UCR), dois núcleos de Unidade de Produção de Leitões (UPD), uma unidade de armazenagem de grãos, uma fábrica de rações, um tratamento de dejetos, uma unidade produtora de energia Fotovoltaica e Biogás.

Além dessas, haverá áreas auxiliares como guarita, balança, vila residencial com complexo de lazer com 74 unidades, bloco administrativo, entre outras.

Empregos

A estimativa é que a empresa gere mil empregos diretos e indiretos, incluindo os trabalhos de transporte de animais, de ração, assistência técnica, abate nas indústrias e fábricas de ração.