Entretenimento

Viva: novelas dos anos 2000 podem se tornar frequentes no canal

Com ótimos números conquistados por O Cravo e a Rosa e Porto dos Milagres, e o imbróglio envolvendo direitos autorais das produções mais antigas, a direção do canal pode apostar cada vez mais em produtos recentes
Em 2003, Agora é que são Elas alavancou audiência das 18 horas (Foto: João Miguel Júnior/TV Globo)

Quando Laços de Família foi ao ar em 2015 no Viva, parte do público condenou o canal por conta da reprise ser considerada recente - a trama foi exibida originalmente em 2000 e foi reixibida nas tardes da Globo em 2005.

A polêmica voltou a se repetir em 2019. Pela quarta vez em 19 anos, O Cravo e a Rosa voltou às telinhas, enquanto que Porto dos Milagres, nunca reprisada após ir ao ar em 2001, ganhou a faixa das 15h30.

As escolhas foram e continuam sendo alvo dos espectadores que esperam assistir novelas produzidas nos anos 1970 e 1980. Roda de Fogo (1986) e Brega e Chique (1987) estão entre os folhetins mais pedidos para ganharem um repeteco. As obras já chegaram até a ser anunciadas, mas foram canceladas de última hora. 

Porém, engana-se quem pensa que as novelas recentes deixam a desejar quando o assunto é audiência. Conforme o portal Tela Viva, a exibição de Porto dos Milagres e O Cravo e a Rosa vem garantindo a liderança de audiência na tevê paga. 

Não se sabe se esses índices influenciaram o Viva para escolher o remake de Cabocla, de 2004, para substituir história de Felix e Adma em outubro - insistindo novamente em um folhetim recente. 

Ao constatar que as produções dos anos 2000 são responsáveis por angariar ótimo público, a tendência é que o Viva aposte cada vez mais nelas. Além do quesito audiência, outro fator que acaba influênciando na escolha por produtos mais recentes são os direitos autorais. 

Um Anjo Caiu do Céu (2001), Uga Uga (2000), Kubanacan (2003), Agora é que são Elas (2003), Desejos de Mulher (2003) e O Beijo do Vampiro (2002) nunca ganharam reprise no Vale a Pena Ver de Novo e podem enfim ter uma oportunidade através do Viva. 

Além disso, a Folha de São Paulo dá como certa a volta de O Clone (2001) e Mulheres Apaixonadas (2003), clássicos do horário nobre.

Para os mais saudosistas, o jeito é ir se contentando com Selva de Pedra, de 1986, que ganhou vez no horário das 14h30 desde o dia 22 de agosto, no lugar de Terra Nostra. 

E você, vem gostando das escolhas do Canal Viva? Acha que os bons números garantidos por essas produções devem influenciá-lo a "repetir a fórmula" cada vez mais? Que novela você gostaria de assistir? Deixe seu comentário!