Responsivo

Médica de Pato Branco é investigada por emitir laudos falsos e recomendar cirurgia de até R$ 5 mil

A suspeita surgiu quando a paciente, que não recebeu o exame da profissional foi buscá-lo no laboratório e descobriu que o laudo que constatou o câncer nunca existiu

Uma médica dermatologista de Pato Branco é acusada de emitir falsos laudos de câncer de pele e convencer pacientes a realizar procedimentos que não eram necessários.

Uma paciente foi ao consultório por conta de uma mancha no rosto. A vítima, que não quis se identificar, informou que foi feita uma biópsia: de um lado foi retirada a mancha e do outro, elas foram cauterizadas.

Segundo a paciente, a médica enviou os exames para o laboratório de patologia. Dias depois, a médica entrou em contato com a vítima e informou que o resultado saiu com alteração. 

A suspeita do falso laudo surgiu quando a paciente, que não recebeu o exame da profissional, foi ao laboratório e descobriu que o exame que constatou o câncer nunca existiu. O resultado dizia que ela não tinha câncer. 

Falsa dermatologista de Pato Branco

Segundo a polícia, a médica examinava pintas e manchas e dizia que algumas delas poderiam ser cancerígenas. Ela coletava o material e mandava para o laboratório para, na reconsulta, apresentar um laudo com resultado de câncer de pele.

A profissional realizava procedimentos para retiradas das pintas e cobrava valores que chegavam a R$ 13 mil. Outras nove vítimas denunciaram o caso à polícia. Dessas, oito passaram pelo procedimento de ampliação de imagem, que consiste na retirada de parte da pele.

Operação policial

Na última sexta-feira (1), uma operação apreendeu laudos, celulares e computadores na casa da dermatologista de Pato Branco que foram encaminhados ao Instituto de Criminalística para comprovar a falsificação.

O advogado de defesa de uma das vítimas disse que a médica poderá responder a um processo administrativo. Já a defesa da médica afirmou que aguarda o retorno da perícia e disse que tudo deve ser esclarecido. 

Procurada pela equipe da Rede Massa | SBT, a Sociedade Brasileira de Dermatologia disse que a médica não tem título de dermatologista. Ela já foi denunciada e julgada anteriormente pelo Conselho de Medicina do Paraná por anunciar indevidamente essa especialidade. 

Fonte: https://massanews.com