Endometriose a doença que acomete de 7 à 8 milhões de brasileiras

Neste final de semana a cantora Anitta revelou que tem a doença e resolveu dar voz a importância de um bom médico no diagnóstico

Através de suas redes sociais a cantora carioca Anitta, informou seus seguidores, neste final de semana, que tem endometriose. A doença é inflamatória e provocada por células do endométrio (tecido que reveste o útero) que, em invés de serem expelidas durante a menstruação, se movimentam no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar.

Anitta resolveu tornar a conversa pública pela falta de informação sobre a doença e também a demora no próprio diagnóstico, que levou 9 anos para ter o resultado correto após falsos diagnósticos.

Os principais sintomas da Endometriose

– Dor em forma de cólica durante o período menstrual que pode incapacitar as mulheres de exercerem suas atividades habituais;
– Dor durante relações sexuais;
– Dor e sangramento intestinais e urinários durante a menstruação;
– Dificuldade de engravidar. A infertilidade está presente em cerca de 40% das mulheres com endometriose.

Diagnóstico

O primeiro passo para o diagnóstico é um exame ginecológico clínico que pode ser confirmado pelos seguintes exames laboratoriais e de imagem: visualização das lesões por laparoscopia, ultra-som, ressonância magnética, exame de sangue marcador tumoral CA-125, que se altera nos casos mais avançados da doença. O diagnóstico de certeza, porém, depende da realização de biópsia.

Complicações

A doença pode acometer qualquer órgão da pelve (na cavidade abdominal, bacia). A presença da doença nos ovários pode provocar o aparecimento de um cisto chamado endometrioma. Esse cisto consegue atingir grandes proporções e comprometer o futuro reprodutivo da mulher. O intestino grosso (reto e sigmoide), bexiga, apêndice e vaginas também podem ser acometidos.

Tratamento

Sendo uma doença crônica ela regride espontaneamente com a menopausa, pela queda na produção dos hormônios femininos e fim das menstruações. Mulheres mais jovens podem utilizar medicamentos que suspendem a menstruação; lesões maiores de endometriose precisam ser retiradas cirurgicamente. A remoção dos ovários e do útero pode ser uma alternativa de tratamento.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail