Ricardo Dallarosa reestruturará o esporte em Candói

Segundo o secretário, as maiores reivindicação dos esportistas são material esportivo, praças em boas em condições e horários para as atividades

O secretário de Esportes de Candói, Ricardo Ignez Dallarosa, é amante das modalidades desde o início da adolescência. Ele atua como goleiro de Handebol. Ele é um dos veteranos do time da cidade.

Ao longo dos anos, Ricardo participou de eventos importantes na região, como a Liga Paranaense de Handebol (pelas equipes de Candói e também de Guarapuava), Jogos Abertos do Paraná (JAP´S), Jogos Abertos Regionais da Cantuquiriguaçu (Jarcans), entre outros.

Handebol

Candói está na Série Prata do Paranaense de Handebol. Com 34 anos de vida e 17 de carreira, Ricardo é um dos mais experientes do plantel. “Comecei jogando na linha. Não deu certo. Nepois disso, tornei-me para goleiro. Quem pratica handebol, pratica por amor, porquê gosta mesmo. Um exemplo é um atleta que veio de fora, não cobrou nem a hospedagem, nem a passagem de avião, mas, por fim, acabei pagando, pois não achei justo. O que mais queremos é valorizar o esporte, lutar por esses atletas, pelas escolinhas, pelo ginásio cheio em dia de jogo”, afirma.

Futsal

No ano passado, Candói teve um time de futsal na Série Bronze. Devido à pandemia, a secretaria decidiu não manter a equipe nesta temporada, mas garantiu a participação no estadual sub-20. “No ano passado, jogaram com praticamente apoio nenhum. Este ano nós optamos por reestruturar e fortalecer a equipe antes de disputar a competição.

Política

Na política, Ricardo é presidente municipal do PSDB e diz se envolver na área através da amizade com o prefeito, Aldoino Goldoni Filho. “Ele me ajudou muito. Toda vez que pedi ajuda no esporte, ele nunca recusou, então quando me disse que ia se candidatar, fui companheiro”, conta.

Quando surgiu a possibilidade de ser secretário, dias antes das eleição, escolheu a dedo o departamento. “Se fosse para ser secretário, gostaria do Esporte, pois tinha esse sonho. Perguntaram se eu iria largar um emprego de 12 anos, gerente de uma oficina, pra ‘se aventurar’. Minha resposta foi sim, era o que mais queria.”

Com relação ao salário, o secretário argumenta que este não foi um aspecto que lhe influenciou. “Eu não acertaria por esse motivo, pois eu tinha meu emprego, vim porque quero fazer o esporte acontecer, ver essa criançada correndo e evitando elas de passarem por falta de material. Vou ajudar todos os atletas e as escolinhas, não só de handebol, mas de todas as modalidades”, garante ele.

Projetos

Candói conseguiu uma emenda de R$ 150 mil para o projeto do Instituto Léo Moura. “Com essa emenda, não sai nenhum real da secretaria de Esporte. Se não me engano, são 150 crianças, dois professores – que eu posso dividir em duas modalidades, pode ser qualquer uma. Os alunos recebem tênis e uniforme completo”, relata Ricardo.

Outro projeto é o “Transforma Paraná”. “Estamos buscando o recurso para o município, trabalhando internamente e estudando algumas transformações no interior. Não houve manutenção praticamente nos últimos anos, estamos vendo o que o povo precisa para tentar melhorar todas essas praças esportivas”, acrescenta.

O secretário afirma já ter conversando com boa parte das equipes das modalidades do município. “Só falta o apoio, e esse apoio que reivindicam é bem simples, somente o material esportivo, o local para treinar, assim como os horários. Então, de algum jeito, vamos possibilitar isso”, finaliza.