Empresas fabricantes de fibra ótica enfrentam crise em sua produção

As regiões que mais sofrem com a escassez de fibra ótica são Europa, Índia e China

Empresas do mundo todo estão enfrentando o problema de abastecimento de fibra ótica. Os preços estão mais caros e os prazos de entrega ainda maiores. As empresas vão adiar um pouco os seus planos para uma infraestrutura de telecomunicações de última geração.

Por conta da pandemia, os grandes grupos de tecnologia diminuíram seus investimentos. Ao mesmo tempo ocorreu o aumento na demanda por serviços de internet e dados. A demanda de cabos de fibra ótica tem aumentado por causa da expansão dos negócios de data centers da Amazon, Google, Microsoft e Meta, que necessitam da instalação de redes internacionais de fibra sob o oceano; e os governos também estão investindo muito no lançamento de banda larga super-rápida e 5G.

As regiões que mais sofrem com a escassez são Europa, Índia e China. Os preços passaram por alta de até 70% em comparação com março de 2021.

Aumento de preços

Como resultado das paralisações de fábricas na Rússia e nos EUA, o hélio, componente essencial para a fabricação de fibra ótica de vidro está passando por escassez, o que tem feito os preços do elemento aumentar 135% nos últimos dois anos. O tetracloreto de silício é outro elemento que também aumentou, para cerca de 50%.

“Dado que o custo de implantação dobrou de repente, agora há dúvidas sobre se os países serão capazes de cumprir as metas estabelecidas para a construção de infraestrutura e se isso pode ter um impacto na conectividade global”, afirma o analista da Cru Group, Michael Finch.

O executivo-chefe da Corning, a maior produtora de cabos de fibra ótica do mundo, Wendell Weeks relatou não ter visto nada igual a atual crise inflacionária. Segundo ele a Cornig tem aumentado a demanda. “Vai continuar apertado por um tempo, mas vamos superar essa crise”, afirma Wendell.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail