Levantamento mostra presença do Aedes aegypti em 6 mil locais no Paraná

A Secretaria Estadual da Saúde reforça o alerta à população sobre a importância de eliminação de criadouros do mosquito Aedes

A Secretaria Estadual da Saúde reforça o alerta à população sobre a importância de eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti para prevenção da dengue.

O boletim semanal emitido na terça-feira (2) mostra que o Paraná tem 2.270 casos confirmados. São 324 casos a mais que o informe anterior que apresentava 1.946 confirmações. A Secretaria da Saúde publicou também o levantamento dos principais criadouros de Aedes aegypti entre 1º e 29 de janeiro de 2021.

Depósitos

De acordo com o Boletim, os depósitos ou criadouros passíveis de remoção são os locais onde mais foram identificadas amostra de água com depósitos positivos para o mosquito causador da Dengue, Zika e Chikungunya.

Foram encontradas larvas e pupas do mosquito em 6.125 locais. Entre eles 2.283, ou 37,4%, estavam em recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas em pátios e ferro velhos e entulhos de construção.

Na sequência, os depósitos mais comuns para o mosquito se acomodar e reproduzir, com 1.584 locais positivos para o Aedes aegypti são vasos de flores, frascos com água, pratos, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, pequenas fontes ornamentais, materiais estocados para construção civil e objetos religiosos.

Dados 

As informações do Boletim resultam do período epidemiológico com início em agosto de 2020 e término no final de junho de 2021. Em comparação ao mesmo período de 2020, os números de casos confirmados de dengue são menores, eram 10.882 no ano passado e 2.270 neste ano.

Por AEN