Responsivo

Ponte aérea entre Rio e São Paulo será primeira do mundo com embarque biométrico facial, diz Infraero

Segundo a administradora de aeroportos, a tecnologia promete dispensa da apresentação de cartões de embarque e de documentos físicos

Nesta terça-feira (9), a Infraero informou que os aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) serão os primeiros do mundo com ponte aérea de acesso integralmente biométrico facial.

Conforme a administradora de aeroportos, a tecnologia que promete dispensa da apresentação de cartões de embarque e de documentos físicos de identidade será utilizada desde o check-in até o embarque de passageiros.

A instalação já está sendo realizada, e o início da operação deve acontecer nos dois terminais ainda em agosto, disse a Infraero.

“Congonhas e Santos Dumont são os primeiros aeroportos brasileiros a implantar de forma definitiva o embarque facial biométrico 100% digital para passageiros e tripulantes”, disse a Infraero em nota enviada à imprensa.

Serão beneficiados especialmente os usuários da ponte aérea São Paulo-Rio de Janeiro. Com o procedimento instalado nos aeroportos que formam a rota de maior movimento do país, o Brasil tem agora a primeira ponte área biométrica de ponta a ponta do mundo.”

Como vai funcionar

Para ter acesso ao serviço, o passageiro precisa necessariamente passar por um cadastramento digital da companhia aérea. Cada uma poderá ter um procedimento próprio, destaca a Infraero. Ele deve ter:

Documento biométrico válido;

Passagem aérea;

Acesso ao canal de cadastramento e validação biométrica da companhia aérea.

A validação biométrica associada ao voo será realizada durante, ou após, o check-in pelo canal.

Já no aeroporto, a biometria facial será usada em duas etapas. Primeiro, para acesso à sala de embarque, onde totens farão o exame de perícia inicial, consultando a base do governo e verificando o cadastro e a existência do cartão de embarque válido.

Aprovado, o passageiro passa por mais uma análise biométrica no momento de ingresso na aeronave, já no portão de embarque.

O objetivo é tornar o processamento de passageiros e tripulantes mais ágil e seguro, informa a nota. Na fase de testes da tecnologia, foi constatada uma diminuição de 27% no tempo de embarque.

Os procedimentos tradicionais de check-in e embarque continuarão disponíveis, ressalta a Infraero.