Serviço Alerta Ferrugem da Soja já está disponível

Ação monitora e informa sobre a ocorrência da ferrugem asiática em lavouras de soja nas regiões produtoras do Estado

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR) Iapar-Emater  iniciou na última  quinta-feira (15) o Alerta Ferrugem, uma das ações do Programa Grãos Sustentáveis do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR-Paraná), Embrapa e parceiros, que monitora a presença de esporos de Ferrugem Asiática da Soja por meio de coletores de esporos instalados em rede nas regiões produtoras do Estado..

Na região de Laranjeiras do Sul são nove coletores monitorados em Unidades de Referência, propriedades rurais estrategicamente selecionadas pelos técnicos do Instituto para compor a rede estadual. Dois coletores estão em Laranjeiras, um na comunidade dos Passinhos e o outro na comunidade do Rincão Grande; um em Porto Barreiro na comunidade de Pinhão Velho; um em Rio Bonito do Iguaçu na comunidade de Bela Vista; um em Nova Laranjeiras na comunidade Sarandi; um em Espigão Alto do Iguaçu na comunidade Boa Vista e em Quedas do Iguaçu são 3, na Linha Iguaçu, na Comunidade Fazendinha e Comunidade Renascer.

A previsão é que até o final de outubro sejam instaladas 250 unidades coletoras de esporos em todo o Estado.

Ferrugem

A ferrugem asiática é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi e é capaz de provocar perdas de 90% da produtividade. A doença é considerada a mais preocupante em lavouras de soja.

O seu principal dano é a desfolha precoce, impedindo a completa formação dos grãos, com conseqüente redução da produtividade. O nível de dano que a doença pode ocasionar depende do momento em que ela incide na cultura, das condições climáticas favoráveis à sua multiplicação.

Coletor de esporos

O coletor de esporos é um equipamento simples, como explica o engenheiro agrônomo da Coordenação Regional de Projetos do Iapar-Emater Joelcio Vigolo

“É composto por uma base metálica disposta verticalmente, com uma das extremidades fixada no solo e na outra um tubo de PVC, que gira livremente de acordo com a direção do vento. Dentro do tubo está acoplada uma lâmina de microscópio com fita adesiva, o que permite que as partículas transportadas pelo ar fiquem nela aderidas com a passagem do vento”, explica.

Semanalmente as lâminas são coletadas e levadas ao laboratório para identificação. Se confirmada a presença de esporos, a informação é oficialmente publicada no site Alerta Ferrugem  e amplamente divulgada entre técnicos e produtores nas diversas regiões do Estado. A novidade para este ano é que o Alerta Ferrugem estará disponível também no celular pelo aplicativo IAPAR Clima, facilitando ainda mais o acesso aos produtores. 

O Alerta Ferrugem

Em um contexto de rede de coletores, o Alerta Ferrugem fornece embasamento necessário para a tomada de decisão de forma mais assertiva, principalmente quando há no campo a combinação de três fatores : lavouras implantadas, presença de esporos e ambiente favorável para o desenvolvimento da doença. A recomendação é que essa decisão seja sempre discutida com um técnico.

O monitoramento da presença de esporos no ambiente possibilita acompanhar a disseminação do patógeno, mesmo em lavouras onde não haja o equipamento instalado.

“Associada à inspeção de plantas, essa informação permite ao produtor planejar com maior segurança o uso de fungicidas, evitando aplicações desnecessárias”, explica Joelcio.

 De acordo com os resultados da última safra, as informações do Alerta Ferrugem possibilitaram reduzir em até 33% a aplicação de fungicidas entre os produtores que adotaram o Manejo Integrado de Doenças, o que representou uma economia de até 1,8 saca por hectare no custo de produção.