Acau justifica mudança no comando técnico: “O pessoal geralmente só vê problemas nas derrotas”

Com 100% de aproveitamento na Série Bronze, clube de União da Vitória trouxe André Demczuk para assumir a titularidade à beira da quadra. Kaye Kampmann ficará na comissão técnica

Por Juliam Nazaré

Dona de uma das duas melhores campanhas da Série Bronze do Campeonato Paranaense de Futsal, a Acau, de União de Vitória, decidiu mexer no comando técnico. Após duas vitórias em dois jogos, o então comandante, Kaye Kampmann, foi substituído por André Demczuk, o “Dedé”.

Em entrevista ao Correio do Povo do Paraná, o diretor do clube Fernando Barulho informou que Kaye ficará na comissão técnica e que a vinda do novo treinador é em razão da busca por experiência.  “A gente já vinha conversando com ele (Dedé) antes do início do campeonato. Mas a nossa equipe iria jogar apenas com os garotos da base, então ficamos com o Kaye, responsável pela garotada. Mas, com a vinda do Jaison, trouxemos outros atletas e o projeto tomou corpo. As coisas com o Dedé foram fluindo e o próprio Kaye considerou boa a vinda do Dedé”, disse.

De acordo com Barulho, o fato de Kaye ser da cidade, conhecer alguns atletas e ser mais novo que alguns comandados influenciou na decisão. “Isso às vezes gera empecilhos. Por isso, buscamos alguém de fora. Quem ganha é o futsal, com a volta do Dedé, e principalmente a Acau. O pessoal geralmente só vê problemas nas derrotas. Nós estávamos vendo isso de forma geral, e o Kaye é novo, e o time tem atletas de gabarito, então precisávamos de alguém com mais experiência. Tanto que alguns jogadores são mais velhos que ele. O Kaye gostou da ideia da vinda do Dedé e ele vai permanecer na comissão técnica. Não teve briga, é mais uma questão de experiência e respeito, a busca por um técnico de renome.”

Em 2020, técnico protagonizou reação do Bituruna 

O último trabalho de Dedé à frente de um clube foi em 2020. Ele assumiu o Bituruna na reta-final da 1ª fase da Série Prata. Até então sem vencer, a equipe reagiu e, sob o comando de Dedé, avançou à 2ª fase e, posteriormente, à semifinal. Entretanto, o time foi desclassificado no Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR), por conta da escalação irregular do fixo Vagnão. 

No início deste ano, Dedé assumiu a secretaria de Esportes de Irati e agora vai conciliar as duas funções.  “No primeiro momento, não quis conciliar o treinamento com o trabalho na secretaria de Esportes, mas consegui um espaço, até porque União não é tão longe. Vou ir de duas a três vezes por semana dar treinamentos. O Kaye vai ficar na comissão técnica e nas categorias de base e eu vou ajudá-lo”, disse o técnico.

E se no ano passado Dedé assumiu o Bituruna sem vitórias e com poucos jogos para o fim da 1ª fase, em 2021 ele chega a União da Vitória no início da temporada, diante de uma Acau com 100% de aproveitamento. “As duas cidades gostam muito do futsal, tanto Bituruna quanto União da Vitória. O projeto da Adab é solidificado e cumpriu tudo o que prometeu comigo. São responsabilidades diferentes, mas nenhuma é maior que a outra. Lá, a missão era levar um projeto de pessoas séries a um nível digno. Em União da Vitória, a responsabilidade é dar sequência ao ótimo trabalho do Kaye. Chego para somar. Não somos o maior investimento, mas temos jogadores de qualidade. Já trabalhei com Bruno, Pobo, Fernando. Já conheço Yuri, Jaison, Fabiano. Acredito que vamos manter essa equipe competitiva”, argumentou.

O pivô Jaison – principal nome da equipe – afirma que não houve, literalmente, uma troca de comando. “Trouxeram o Dedé para agregar e ser um a mais na comissão técnica. Ele é diferenciado, tem uma certa experiência, e será bom para a equipe e também para o Kaye, pro Vitamina, pro Jhony. Assim como para os meninos que estão querendo aprender. Com certeza, será alguém que agregará e muito ao grupo”. 

Próximo jogo

Dedé, inclusive, comandou o primeiro treino na Acau na noite de segunda-feira (25). A equipe retorna à quadra no sábado (29), em casa, diante do São Mateus. O time está no Grupo Centro-Sul, ao lado também de Caçula – de Cantagalo – de Quedas. Neste ano, a Série Bronze conta com 24 clubes.