Coronel e Operário: “qualidade e estrutura para jogar a Série Ouro por vários anos”

Afirmação é do supervisor vividense, Evandro Tosetto. Clubes voltam a se enfrentar hoje, após decidirem a Série Prata de 2020

Por Juliam Nazaré

Finalistas da Série Prata de 2020, Coronel e Operário Laranjeiras voltam a se enfrentar às 19 horas desta sexta-feira (4), no Barro Preto, pela 9ª rodada da Série Ouro. Os dois clubes são os caçulas da elite estadual, mas brigam pela parte de cima da tabela. 

Retrospecto no estadual

Com quatro vitórias, dois empates e uma derrota, o Operário somou 14 pontos e está em 4º. A equipe não perde há seis jogos. Por outro lado, os vividenses venceram três partidas, empataram uma e perderam três. Com 10 pontos, figuram em 8°. 

Histórico do confronto

Em 2020, foram três encontros entre operarianos e vividenses. Na 1ª fase da Série Prata, no Barro Preto, o Operário venceu por 3×1. Na grande final, empate em 2×2 na casa do Coronel e vitória do Rubrão no Laranjão por 3×0. 

Diretorias valorizam desempenho

Para o supervisor do Coronel, apesar de estrearem na competição, as duas equipes possuem elencos condizentes para brigar pelas primeiras posições da tabela. “Acho, inclusive, que o elenco do Operário é um dos melhores da Série Ouro. Tirando aí umas duas equipes que estão à frente, eles estão com o terceiro melhor elenco. O Coronel não vem muito atrás, montou, no início do ano, um bom plantel. Perdemos peças que podem fazer falta neste momento, mas ainda assim é um time aguerrido. Temos um grupo fechado, com um vestiário muito bom – e isso conta. As duas equipes estão fazendo bonito. Talvez, lá na frente, não se classifiquem, mas mostram qualidade e estrutura para jogar a Série Ouro por vários anos”. 

O vice-presidente do Rubrão, Emerson Melatti, o “Mano”, enfatizou a força do adversário dentro de casa. “Quando fomos campeões, alguém da imprensa nos indagou o que esperar do Operário para a Ouro. Sempre dissemos que montaríamos uma equipe condizente com a ambição do clube: chegar e não fazer feio. O campeonato está no meio da 1ª fase, estamos trabalhando firme e esperamos ir até Coronel e fazer um bom jogo. Eles são difíceis de serem batidos lá dentro”. 

Desfalques

No lado anfitrião, o técnico Renato Mocelin não poderá contar com o fixo Delegado. Lesionado, Felipe Reis é o desfalque de Luciano Bonfim. Jean Pierre é dúvida. Ele sentiu um desconforto na panturrilha e fará um teste no vestiário para ver se têm condições de jogo. 

O Coronel deve ter: Marquinhos, Thalisson e Daniel; Edgard, Hugo, Lucas, Juninho, Jan Guimarães, Japa, Gui Manesco, Denner, Marcelinho, Vini Rod e Vico. 

Já o Operário viaja com: Velloso, Ari; Dário, Ricardinho, Jean Pierre, Zói, Feitosa, Dodô, São Pedro, Marcelo Bigode, Lucas Silva, Kevin, Rafinha e Djaelson. 

Retorno após o isolamento 

O jogo de hoje será o primeiro compromisso do Coronel após 21 dias. Após perder para o Foz Cataratas, em 14 de maio, a equipe passou por um surto de Covid-19. Foram 10 casos da doença – seis entre atletas e quatro na comissão técnica. Após duas semanas de isolamento, o elenco retomou os treinamentos na segunda-feira (31). 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail