Série Prata: com reação e expulsões, Coronel e Operário empatam na partida de ida da decisão

Digno de uma decisão. Assim foi o primeiro jogo da final da Série Prata do Campeonato Paranaense de Futsal. O

Digno de uma decisão. Assim foi o primeiro jogo da final da Série Prata do Campeonato Paranaense de Futsal. O duelo, entre Coronel e Operário Laranjeiras,  foi disputado na noite desta quarta-feira (9), no Ginásio Barro Preto, casa vividense. Após abrir 2×0 de vantagem, o Rubrão sofreu o empate. Os quatro gols saíram no 1º tempo. Gabriel Guedes foi expulso pelo lado visitante e Jan Guimarães pelo Coronel. A volta está marcada para as 19 horas de sábado (12), no Laranjão. 


O jogo

Com menos de um minuto de jogo, o goleiro Ari começou a jogada que resultaria no primeiro gol da noite. No contra-ataque, Gabriel Guedes inverteu o jogo e encontrou Dudu livre que, da entrada da área, fez 1×0 Rubrão. Quando restavam quatro minutos para o fim da 1ª etapa, a defesa do Coronel vacilou na tentativa de interceptar um cruzamento. Dudu aproveitou a bobeira e serviu Biel, que fez o segundo dos visitantes. 

O jogo que se desenhava tranquilo para o Operário se revelou surpreendente. Apesar da vantagem no placar, o time de Luciano Bonfim abusou das faltas. O exagero resultou num tiro livre direto. Muskito cobrou, mas Ari salvou os laranjeirenses. Apesar de ter se safado naquele momento de sofrer o primeiro gol, o excesso de faltas fez o Operário segurar o ímpeto. Por outro lado, foi a oportunidade encontrada para que o Coronel se reencontrasse em quadra. 

Num chute de fora da área, Tigela descontou para o Coronel. E quando restavam 40 segundos para o intervalo, Vini recebeu passe açucarado de Deilton e fuzilou: 2×2!

No 2º tempo, teve de tudo um pouco: bons momentos das duas equipes, discussões, reclamações com a arbitragem, muitos cartões e…expulsões. Só não teve gol!

Gabriel Guedes foi expulso. O árbitro entendeu que, na dividida, deixou a sola do pé, acertando Jan Guimarães. O operariano levou cartão vermelho direto. O Rubrão soube suportar os dois minutos com um atleta a menos. Ari voltou a fazer defesas importantes. E conforme as equipes se equipararam dentro de quadra, Ceará passou a aparecer também. Nos instantes finais, foi Jan a ser mandado mais cedo para o chuveiro. Num contra-ataque do Operário, ele deixou a mão no rosto de Marcelo Bigode, recebeu o segundo amarelo e deixou o jogo. Os segundos derradeiros do jogo foram do Operário cercando a área vividense, mas o placar ficou mesmo em 2×2.


Como fica?

No sábado, quem vencer fica com o título da segundona. Em caso de novo empate, o jogo segue para a prorrogação: serão dois tempos de cinco minutos cada. Se houver um novo placar de igualdade, o Rubrão, que tem melhor campanha geral, será o campeão. Tanto Operário tanto Coronel já estão na Série Ouro de 2021.