Responsivo

Brustolin vai criar escola e pista de três tambores

Nascido e criado nas gineteadas de Laranjeiras, Edson relembra os sucessos e desafios na trajetória da companhia e conta as novidades. “Alugamos um espaço para a escola e faremos uma grande festa gratuita para celebrar três décadas da empresa”.

Prestes a completar 30 anos de existência, o capo da Edson Brustolin Eventos conversou com o Jornal Correio do Povo do Paraná. Ao discorrer sobre a longa trajetória da companhia, ele adiantou que fará uma grande festa gratuita na cidade para comemorar a data e contou em primeira mão que a Lind´água vai virar uma escola de rodeio. “Aos 16 anos, eu fugia de casa para participar dos rodeios e hoje estamos em cinco estados, como na Fenajeep de Brusque (SC), e em Barretos com peões, além de incentivá-los nos EUA”, comemora.

Das gineteadas aos grandes eventos

A história do laranjeirense Edson Brustolin, sempre esteve ligada às montarias, vida rural e eventos. Aos 16 anos, saia escondido da mãe para montar em rodeio. Hoje, aos 51 anos, ele lembra com saudade do começo da vida de peão. “Isso é coisa que sempre gostei e por me destacar, comecei a representar o Paraná em campeonatos brasileiros.  Em 1987, na primeira Festa do Peão em Laranjeiras, o patrão do CTG era o Paulinho Pinto e ele me convidou para participar. Dalí, tudo se caminhou para que eu tivesse um negócio nesse ramo”, relembra.

Em 1994, junto de seu pai Edevino e seu irmão Dilmar, essa visão se tornou realidade. “Fundamos nossa companhia de rodeio, inicialmente centrada em Laranjeiras do Sul, mas com os olhos em horizontes mais amplos. Hoje, temos representantes em cinco estados e em vários tipos de eventos, como a Fenajeep de Brusque e o Carnaval de Joaçaba”, conta Brustolin ele.

Desafios ao longo da jornada

Edson conta que os primeiros eventos na cidade foram um sucesso e na época, diferente de agora em que as prefeituras contratam o rodeio, se cobrava entrada, como nos circos. “Como precisávamos pagar as contas, chegávamos na cidade, fazíamos propaganda e, cobrávamos entrada. Nosso início em Laranjeiras era lotado sempre. O problema foi quando começamos a sair para outras cidades”, lembra.

Segundo ele, os primeiros eventos foram desafiadores, marcados por contratempos e obstáculos inesperados. “Foi uma luta dura para tornar a companhia de rodeios conhecida. Pitanga foi o palco do primeiro rodeio fora. O primeiro dia foi um sucesso, mas nos outros, quase ninguém compareceu. No final de tudo, conseguimos apenas pagar as despesas e eu pensava que muita gente ganhava dinheiro com isso, e por que não nós?”.

Entre outras dificuldades, Brustolin lembra um recente evento em que o prejuízo foi de R$ 80 mil. “Além de poucas pessoas, recebi um cheque sem fundo no sudoeste do Paraná. Infelizmente a vida do empreendedor é essa e coisas desse tipo acontecem”, lamenta.

No entanto, essas experiências moldaram a abordagem de Edson e sua equipe, levando-os a buscar inovação, qualidade e profissionalismo em cada evento que organizam. “Ao longo dos anos, a companhia expandiu-se para além dos rodeios tradicionais, abraçando uma variedade de eventos, desde shows de motocross até competições esportivas de grande escala com estrutura e arquibancadas”, ressalta o empresário.

Pandemia e incertezas

De acordo com Edson, a pandemia de Covid-19 representou um dos maiores desafios para a empresa até hoje. Com eventos cancelados e restrições de viagem em vigor, a equipe enfrentou tempos difíceis. “Tenho uma equipe grande e precisava mantê-los. Foram praticamente dois anos sem que R$ 1 real entrasse na conta. Para manter a empresa, tive de vender um carro e um caminhão e colocar minha equipe para trabalhar internamente, tudo para que não ficassem desempregados. Graças a Deus tivemos saúde para encarar e o nosso retorno foi brilhante em Rio Bonito, em 2021 com rodeio e motocross. Mais de 30 mil pessoas prestigiaram os eventos”, destaca.

Agenda lotada

Com vários pacotes de eventos, Edson ressalta que a empresa possui parcerias com as prefeituras da região e o ano promete muitas festas. “Hoje as prefeituras compram o evento e não cobramos mais entrada. Nossa estrutura é a melhor do mercado e atende desde os pequenos até os grandes eventos, com narradores excelentes e etapas de montaria da Professional Bull Riders (PBR) e Barretos”, disse ele.

Para Brustolin o diferencial do seu negócio é qualidade da equipe, desde os peões, veterinários, passado pelos animadores (palhaços) e sonorização. “Precisamos de segurança ao promover qualquer festa. A alimentação dos animais e a montagem da estrutura é sempre supervisionada por veterinários e engenheiros. Acompanho tudo para que saia perfeito”, explica o empresário.

Ele disse ainda que até agosto sua agenda está lotada de grandes eventos no Paraná e outros estados. “Os rodeios em Ortigueira e Irati estão entre os que mais me incentivam a continuar nesse ramo e investir sempre mais”, destaca.

Curiosidades e parcerias

Conforme o empresário, ao longo de sua história, a marca Edson Brustolin Eventos estabeleceu parcerias duradouras e amizades sólidas. A empresa sempre valorizou o poder da união e da colaboração. “Marco Brasil e Marco Brasil Filho, Gleydson Rodrigues e Luizinho Miranda, por exemplo, se tornaram mais do que contratados e hoje são nossos amigos”, alegra-se.

Edson relembra que no final de 2018, a empresa chamava-se Geração Rodeio Country – Equipe Edson Brustolin e em conversa com o narrador Gleydson, ele o fez repensar o nome. “Ele me dizia que ao apresentar meu negócio, o nome era o atrativo principal. Ao buscar pela empresa, contratariam Edson Brustolin, não a Geração Country. A partir dessa ideia dele, em janeiro de 2019 alteramos o nome”, disse ele.

O empresário conta que o filho Juninho, já faz parte do negócio da família. Ele é o responsável pela abertura dos rodeios e com isso surgiu o convite para a PBR. “Do mesmo jeito que comecei com minha família, sei que Juninho vai me acompanhar por muito tempo. Com ele, crescemos muito e elevamos ainda mais a marca, chegando a alavancar carreiras de peões da região nos Estados Unidos”.

Lind’agua vai virar escola de rodeio

Enquanto celebra três décadas de sucesso, o empresário olha para o futuro com otimismo e determinação renovados. Seus planos incluem expandir as atividades, envolver a próxima geração e continuar a servir a comunidade. “Alugamos o Hotel Fazenda Lind’agua e ali, construiremos uma pista de prova três tambores e uma escola para esta prática. A ideia é fazer com que essa geração se aproxime e crie gosto por este estilo de vida tão saudável e presente em nossa região”, explica.

Outra ideia é fazer uma grande festa gratuita em Laranjeiras para comemorar os 30 anos. “O legado de três décadas de realizações e inovações é apenas o começo de uma jornada que continua a se desenrolar, uma página de cada vez. Me orgulho por levar o nome da minha família e da minha cidade, seja no início, na sociedade com meu pai e irmão, e agora, com meu filho”, finaliza Brustolin.