“Fique Sabendo 2021” é a nova Campanha de Prevenção à AIDS de Laranjeiras

O objetivo é incentivar a população a realizar testes rápidos, bem como a conscientização sobre as medidas de Prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis

Hoje, 1° de dezembro, é celebrado o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Pensando nisso, a secretaria de Saúde de Laranjeiras do Sul, através do Serviço de Atendimento Especializado (SAE), tem realizado ações para divulgar o trabalho que é oferecido gratuitamente no município, onde, diariamente se oferecido em todas as Unidades de Saúde o teste rápido para HIV, sífilis e hepatites virais e orientações sobre transmissão e prevenção das IST’s e AIDS. Para a conscientização da data serão entregues panfletos, partir das 17h, na rua XV de Novembro.

A secretaria de Saúde vai realizar durante o mês de dezembro a Campanha de Prevenção do HIV, “Fique Sabendo 2021”. O objetivo da Campanha é incentivar a população a realizar testes rápidos, destinados a pessoas sexualmente ativas, principalmente as que nunca realizaram o teste, bem como a conscientização sobre as medidas de Prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s).

Números em Laranjeiras

De acordo com dados epidemiológicos, de 2001 a 2021 Laranjeiras do Sul tem registrado 130 pacientes notificados. De 2018 a 2021, 38 casos foram registrados, ou seja:

  • 2018 – 10 notificações.
  • 2019 – 9 notificações.
  • 2020 – 6 notificações.
  • 2021 – 13 notificações.

Importância

O Dia Mundial de Luta Contra a Aids foi criado em 1987 a fim de mudar a concepção das pessoas a respeito da doença e dos soropositivos. A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids) é uma doença provocada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Esse vírus ataca o sistema imunológico do doente, mais precisamente os linfócitos T CD4+, e provoca uma alteração no mecanismo de defesa do corpo, ocasionando o surgimento mais frequente de doenças.

“Nem sempre uma pessoa portadora do HIV está com Aids. Dizemos que o paciente está com a doença apenas quando os sintomas surgem. Vale destacar que soropositivos podem viver vários anos sem desenvolver o problema, tendo uma vida praticamente normal”, afirmou o coordenador do Serviço de Atendimento Especializado da secretaria de Saúde Cristian Ricardo Pinto.

Diagnóstico precoce

A campanha de 2021 do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais enfatiza a importância de um diagnóstico precoce. Na década de 80, o diagnóstico positivo de HIV era motivo de pânico e uma garantia de morte rápida. Além disso, o preconceito e a discriminação contra os soropositivos eram muito maiores que atualmente.

“Apesar de hoje a grande maioria da população conhecer as formas de transmissão e entender que não existem grupos de risco, muito preconceito envolve os portadores de HIV. Sendo assim, a data funciona até hoje como uma forma de diminuir a discriminação e de quebrar muitas concepções erradas sobre a Aids”, adiantou Cristian.

A Aids pode ser transmitida através de relação sexual desprotegida, fluidos corporais, contato com sangue contaminado pela transfusão ou compartilhamento de seringas, transmissão vertical da mãe infectada  para o bebê durante o parto ou aleitamento. Percebe-se, portanto, que um abraço, um beijo ou um carinho, por exemplo, não são responsáveis pela transmissão do vírus.

Sendo assim, não há motivos para evitar o contato com os soropositivos. Além disso, é importante frisar que o HIV não escolhe suas vítimas pelo sexo, orientação sexual ou idade. “Hoje não podemos falar de grupo de risco. Todas as pessoas com vida sexual ativa são vulneráveis. Daí a importância de usar a camisinha e se testar”, disse o coordenador.

Tratamento para HIV

Para controlar a doença e prevenir a evolução para a Aids, pessoas soropositivas, ou seja, diagnosticadas com o HIV, devem se medicar com antirretrovirais. Esses remédios impedem a multiplicação do vírus no organismo e, consequentemente, o enfraquecimento do sistema imunológico. A adesão ao tratamento de forma correta é muito importante para que a infecção não se agrave.

Prevenção

Existem várias medidas que podem evitar a transmissão das hepatites virais:

  • Usar preservativo em todas as relações sexuais (oral, vaginal e anal);
  • Exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e de piercings;
  • Não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure;
  • Não usar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas;
  • Não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas.

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail