Responsivo

Saúde organiza campanha de prevenção à tuberculose

Para manter-se sem casos, os procedimentos de detecção durante a triagem nas salas de espera serão implementados em todas as unidades de saúde

Em antecipação ao Dia Mundial da Tuberculose, celebrado em 24 de março, a Secretaria de Saúde de Laranjeiras do Sul (Semusa) está liderando uma campanha de prevenção da doença. As ações abrangem todas as unidades de saúde do município, com um foco principal na identificação de novos casos durante triagens realizadas nas salas de espera e atendimentos médicos. “Nossa prioridade é identificar casos precocemente e fornecer tratamento adequado”, destaca  o coordenador do Serviço de Atendimento Especializado (SAE), Cristian Ricardo Pinto. “Estamos comprometidos em garantir que nenhum caso passe despercebido”.

Terraplanagem da Agro Laranjeiras deve acontecer em breve

Cuidado essencial

Embora a tuberculose seja curável com acesso a testes e tratamentos adequados, nas Américas, ainda aflige 850 pessoas diariamente, levando a cerca de 90 mortes por dia. No entanto, em Laranjeiras do Sul, neste ano de 2024, nenhum caso da doença foi registrado até o momento. Isso se deve em parte à disponibilidade de testes rápidos e atendimento em todas as unidades de saúde da região.

A campanha deste ano, com o tema “Sim! Nós podemos acabar com a TB!”, reflete a esperança global de erradicar a tuberculose até 2030. “Estamos comprometidos em fazer a nossa parte”, afirma Cristian, enfatizando a importância do engajamento de todas as partes interessadas para alcançar esse objetivo ambicioso.

Tuberculose em Laranjeiras

Em Laranjeiras, neste ano, nenhum caso da doença foi registrado. O teste rápido e o atendimento é oferecido em todas as Unidades de Saúde. Como parte da comemoração do Dia Mundial da Tuberculose, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou a ampliação da principal iniciativa sobre a doença, que apoia o progresso acelerado para acabar com a tuberculose e alcançar a cobertura universal de saúde até 2030.

De acordo com Cristian, Laranjeiras se destaca como um exemplo de abordagem proativa no combate à tuberculose. Diferentemente de muitas outras áreas, onde casos podem passar despercebidos, o município adota uma postura vigilante na notificação e investigação de casos, fornecendo dados precisos sobre a prevalência da doença na região. “Aqui, cada paciente sintomático é minuciosamente avaliado”, explica Cristian. “Isso nos permite agir rapidamente, reduzindo o risco de transmissão e garantindo o tratamento adequado para todos os afetados”.

Além das ações diretas de diagnóstico e tratamento, Laranjeiras também está comprometida com a abordagem de determinantes sociais da tuberculose. A interlocução com políticas públicas, especialmente a assistência social, é considerada crucial para viabilizar proteção social às pessoas afetadas.

Sintomas

Cristian afirma que o principal sintoma da tuberculose é a tosse na forma seca ou produtiva. “Por isso recomenda-se que a pessoa com tosse por três semanas ou mais, seja investigado. Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento, cansaço, fadiga, dores na região do tórax, falta de ar, sensação de mal-estar, e palidez”, disse o farmacêutico.

Diagnóstico

Para o diagnóstico da tuberculose são utilizados os seguintes exames:

Bacteriológicos que se utiliza a amostra de Escarro:

Teste rápido molecular para tuberculose TRM-TB

Cultura para micobactéria
Por imagem (exame complementar)

Radiografia de tórax

Transmissão

A tuberculose é uma doença transmitida pelo ar, resultante da inalação de aerossóis provenientes das vias respiratórias de pessoas com tuberculose ativa, que lançam partículas contendo bacilos no ar durante a fala, espirro ou tosse. Estima-se que, ao longo de um ano, um único indivíduo com baciloscopia positiva possa infectar, em média, de 10 a 15 pessoas em uma comunidade.

Os bacilos depositados em roupas, lençóis, copos e outros objetos têm pouca probabilidade de serem dispersos como aerossóis e, portanto, desempenham um papel insignificante na transmissão da doença. A tuberculose não é transmitida por meio de objetos compartilhados, como talheres ou copos.

Com o início do tratamento, a transmissão tende a diminuir gradualmente e, geralmente, após 15 dias de tratamento, é significativamente reduzida. No entanto, é importante manter medidas de controle, como cobrir a boca ao tossir com o braço ou um lenço, e manter os ambientes bem ventilados e iluminados naturalmente.

A sensibilidade do bacilo à luz solar e a dispersão das partículas infectantes são facilitadas pela circulação de ar. Portanto, ambientes ventilados e com luz natural direta ajudam a reduzir o risco de transmissão.

Formas de prevenção

A vacina bacilo Calmette-Guérin (BCG), ofertada no Sistema Único de Saúde (SUS), protege a criança das formas mais graves da doença, como a tuberculose miliar e a tuberculose meníngea. A vacina está disponível nas salas de vacinação das unidades básicas de saúde e maternidades.

Essa vacina deve ser dada às crianças ao nascer, ou, no máximo, até os quatro anos, 11 meses e 29 dias.

O tratamento da Infecção Latente da Tuberculose (ILTB) é uma importante estratégia de prevenção para evitar o desenvolvimento da tuberculose ativa, especialmente nos contatos domiciliares, nas crianças e nos indivíduos com condições especiais, como imunossupressão pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), comorbidades associadas ou uso de alguns medicamentos.
“Para isso, é importante que a equipe de saúde realize a avaliação dos contatos de pessoas com tuberculose e ofereça o exame para diagnóstico da ILTB aos demais grupos populacionais, mediante critérios para indicação do tratamento preventivo”, afirma o coordenador.