Responsivo

Secretaria de Saúde orienta quanto aos cuidados no combate à dengue

Até a última semana, foram registrados 18 casos, sendo 10 importados e 8 autóctones, além de 76 notificações. A pasta divulgará o boletim semanalmente e reforça a colaboração da população

Com a chegada do verão e com as frequentes chuvas, a preocupação com os casos de dengue aumenta. Pensando nisso, a secretaria de Saúde realiza algumas ações para a prevenção de casos de dengue em Laranjeiras do Sul. No entanto, mais do que o trabalho feito pelas equipes da secretaria, é necessário que a população também auxilie no combate e prevenção da doença.

Em Laranjeiras, até a última semana, foram registrados 18 casos de dengue, sendo 10 importados, em que a pessoa foi infectada em outro município, e 8 autóctones, contraídos no município, além de 76 notificações. Nesta semana, a pasta divulgará o boletim atualizado sobre a situação da dengue no município. O informativo será publicado todas as quartas-feira nas redes sociais da prefeitura e da secretaria.

Colaboração

Em comunicado oficial do prefeito Berto Silva (Pode, pelo Instagram, junto do secretário de Saúde, Valdecir Valicki, da coordenadora de epidemiologia, Patricia Massuqueto e o chefe da vigilância sanitária, Luiz Aquiles, todos enfatizaram a necessidade da colaboração dos munícipes para livrar a cidade da doença.  “É necessário cuidar do seu espaço e de si mesmo. A dengue é dramática”, disse o prefeito.

Professor Lídio desiste e vai apoiar Jaison Mendes

Em meio a mudanças constantes de temperatura na cidade, o secretário Valicki sinaliza o alerta e o intensifica com ajuda de sua equipe. “A época sempre foi propícia para a proliferação do Aedes aegypti. No ano passado, a epidemia iniciou em março e agora, mais cedo, precisamos da colaboração de todos para espantar de vez o mosquito”, informa.

O chefe da vigilância, Luiz Aquiles, destaca que a equipe está em campo e atuando de forma contínua, para combater a doença. “Precisamos de união. Nossos agentes enfrentam desafios, inclusive portões fechados em algumas ocasiões. No entanto, é essencial conduzirmos inspeções nos terrenos”, relata.

O boletim semanal da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), publicado na última terça-feira (6) aponta dois novos óbitos e 7.238 casos de dengue no Paraná. De acordo com Patrícia, Laranjeiras é o segundo município com o maior número de notificações e casos confirmados na regional de saúde. “Nossa constante presença como unidade Sentinela, e também à atenção clínica que nossas unidades de saúde da família e hospitais dedicam aos pacientes, notaram o aumento de notificações”, afirma a coordenadora.

Segundo ela, a intenção do trabalho em equipe é evitar casos complicados. “Com a colaboração de todos, podemos evitar óbitos e manter a cidade livre”, completa Patricia.

Sintomas

A transmissão da dengue acontece durante a picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado com o vírus. Após a picada, os sintomas podem aparecer em até 15 dias. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é febre alta (39°C a 40°C) que dura de dois a sete dias, acompanhada de dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Podem ocorrer manchas que atingem a face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem ocorrer. A orientação é buscar uma Unidade Básica de Saúde aos primeiros sintomas da doença.

Na presença de algum desses sintomas, a pessoa deve procurar imediatamente o atendimento em um serviço de saúde. Evitar a automedicação é fundamental. É de extrema importância se manter hidratado, conforme as autoridades de saúde.

O mosquito Aedes aegypti também é responsável pela transmissão, da zika e do chikungunya.

Orientações

O cuidado com locais onde acumulam água da chuva é de grande importância no combate ao criadouro dos mosquitos. Abaixo, seguem os cuidados que todo o cidadão deve ter.

Não deixe água parada: isso destrói os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve.

Lixeiras dentro e fora de casa: mantenha as lixeiras tampadas e protegidas da chuva. Feche bem o saco plástico.

Vasilhas para animais: os potes com água para animais devem ser lavados com água e sabão no mínimo duas vezes por semana.

Pratinhos de vasos de plantas: mantenha-os limpos e complete com areia até a borda.

Coletor de água da geladeira e ar-condicionado: atrás de algumas geladeiras existe um coletor de água. Lave-o uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado.

Vasos sanitários: deixe a tampa sempre fechada ou vede com plástico. Em banheiros com pouco uso, dê descarga pelo menos uma vez por semana.

Baldes e vasos de plantas vazios: guarde-os em local coberto, com a boca para baixo.

Ralos: tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso.

Garrafas: as garrafas devem ser embaladas e descartadas na lixeira. Se guardadas, devem estar em local coberto ou de boca para baixo.

Piscinas: mantenha a piscina sempre limpa, mesmo sem uso. Utilize cloro para tratar a água e filtre periodicamente.

Calhas: limpe e nivele. Mantenha-as sempre sem folhas e materiais que possam impedir a passagem da água.

Caixas d’água, cisternas e poços: mantenha-os fechados e vedados. Tampe com tela aqueles que não têm tampa própria.

Lixo, entulho e pneus velhos: entulhos e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água.