Novo programa ajuda produtores mais carentes no Paraná

Agronegócio

A meta estabelecida é de que sejam atendidas mais de 1,7 famílias no estado que vivem em 156 cidades prioritárias

  • Compartilhe Essa Notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
Chefe do Núcleo Regional da SEAB Valdemir Almeida  Crédito: Luiz Fernando
Chefe do Núcleo Regional da SEAB Valdemir Almeida Crédito: Luiz Fernando

Nesta semana, o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, apresentou um novo programa social e disse que neste ano pretende superar a meta para enquadramento de famílias vulneráveis e para isso quer contar com ajuda dos municípios.

O programa prevê investimentos para transferência direta de recursos para famílias em situação de vulnerabilidade. Segundo Ortigara, os recursos devem seguir um projeto assinado pela Emater ou entidades parceiras, como as prefeituras, para garantir geração de renda para essas famílias.

O chefe do núcleo regional da Secretaria de Agricultura e Abastecimento(Seab), Valdemir Almeida, explica que outra secretaria estará envolvida.

“É um programa de transferência de rendas que foi lançado no Paraná nos últimos dias pela secretaria do estado de Agricultura e nele iremos trabalhar em sociedade com a secretaria de Abastecimento e a secretária de Estado da Família”, disse Almeida.

Metas

A meta estabelecida para este ano é atender 1,7 mil famílias em situação de extrema pobreza, que vivem em 156 municípios prioritários. “Queremos superar essa meta este ano e dinheiro para isso nós temos. Nosso objetivo é combater a desigualdade social no campo e se dermos um empurrãozinho nas famílias que podem ser atendidas, elas vão prosperar”, frisou Ortigaria.

Almeida explica ainda que o programa visa atender as pessoas mais carentes dos municípios, para que possam complementar sua rendas, por exemplo produzindo uma lavoura, construindo alguma coisinha na propriedade entre outras. “Esses recursos na sua totalidade são de fundos perdidos, o produtor pode pegar R$ 2 mil ou R$ 3 mil em duas parcelas, ou duas de R$ 1 mil ou duas de R$ 1,5 mil, os projetos serão realizados pela Emater ou por técnicos das prefeituras”, finaliza Almeida.

Recursos

O programa prevê investimentos de R$ 14,7 milhões até 2019, em transferência direta de renda, com meta de beneficiar 5,6 mil famílias em 156 municípios. Cada família selecionada vai receber um benefício no valor de R$ 2 mil ou R$ 3 mil, dependendo da renda familiar. Os recursos são do Banco Interamericano de Desenvolvimento e contrapartida do governo do Paraná.
As famílias beneficiárias do projeto devem estar inscritas no cadastro único para programas sociais do governo federal e estarem em situação de vulnerabilidade social, com renda abaixo de R$ 180 per capita por família ou um salário mínimo mensal. O recurso deve ser investido em um projeto pré-definido pela família e pelos técnicos da Emater. As famílias serão acompanhadas e orientadas pelos extensionistas.

  • Compartilhe Essa Notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter