Responsivo

Coronel Vivida é referência em atendimentos terapêuticos

No levantamento apresentado, as consultas de enfermagem se destacam como o procedimento mais frequente, totalizando 389 atendimentos

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I) de Coronel Vivida divulgou recentemente seus números de atendimentos, destacando o compromisso da instituição em oferecer cuidado e apoio às pessoas que necessitam de assistência em saúde mental. Os dados revelam uma série de procedimentos realizados ao longo de um período determinado, demonstrando o impacto direto do trabalho realizado pela equipe.

Dados

No levantamento apresentado, as consultas de enfermagem se destacam como o procedimento mais frequente, totalizando 389 atendimentos. Esse número reflete a importância do acompanhamento clínico e da assistência direta aos pacientes por parte dos profissionais de enfermagem do CAPS I.

Seguindo na lista de atendimentos, encontramos os serviços prestados pela Assistência Social, totalizando 158 atendimentos. Essa área desempenha um papel fundamental na promoção do bem-estar social e na garantia de acesso a recursos e apoio para os usuários do centro.

Atividades terapêuticas

Além dos atendimentos clínicos, o CAPS I de Coronel Vivida orgulha-se de suas iniciativas para promover o bem-estar mental por meio de atividades terapêuticas. Entre elas, destacam-se as Oficinas de Artesanato, realizadas duas vezes por semana, com uma média de 8 participantes por sessão, e a Oficina de Música, realizada semanalmente, com uma média de 5 participantes.

Essas atividades vão além de simples passatempos, proporcionando um espaço de expressão, aprendizado e interação para os usuários, contribuindo significativamente para sua recuperação e fortalecimento emocional.

A assistente social do CAPS I, Larissa Boca Santa, ressalta a importância dessas atividades no processo de recuperação dos pacientes. “As oficinas terapêuticas fazem parte do processo de tratamento e evolução do paciente, fortalecendo os espaços comunitários de convivência e promoção de saúde mental”. Ela enfatiza ainda que as oficinas oferecem espaço para escuta, apoio e aprendizado, criando vínculos afetivos entre os participantes e os profissionais.

Desafios e estratégias

Larissa destaca que diante do aumento da demanda por serviços de saúde mental, enfrentar desafios de recursos humanos e financeiros torna-se uma prioridade. “A equipe do CAPS I trabalha em conjunto com os programas de saúde estratégia da família e atua no atendimento da demanda espontânea que procura o centro”, pontua.

A assistente social conta que o principal desafio é o aumento expressivo da demanda em busca de tratamentos após a pandemia do Covid-19, mas ressalta que a estratégia utilizada é o atendimento acolhedor, visando minimizar os danos sociais e à saúde do paciente.

Promoção da conscientização

Larissa evidencia o papel do CAPS I na promoção da conscientização e redução do estigma em relação às questões de saúde mental na comunidade. “Os CAPS desempenham um papel essencial na promoção da conscientização e na redução do estigma em relação às questões de saúde mental. Além de fornecer um ambiente acolhedor e respeitoso, ainda promove campanhas de conscientização alusivas aos temas de saúde mental”, finaliza.