Após frasco aberto, álcool gel deve ser consumido em sete dias, aponta enfermeira

Com 10 anos de experiência numa Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, Leandra Panatto alerta também para não expor o produto ao calor.

Sete dias. Esse deve ser o prazo máximo para utilizar o álcool gel após o frasco ser aberto. É o que informa a enfermeira esteta laranjeirense Leandra Panato, que já trabalhou por 10 anos numa Comissão de Controle de Infecção Hospitalar.

Em entrevista à Rádio Campo Aberto, Leandra falou da importância de ter esse cuidado, com o risco do produto perder seu efeito, que nesta pandemia tem sido fundamental para evitar a contaminação do novo coronavírus.

“Se utiliza-se galões grandes e vai fazendo apenas a reposição nos fracos menores, estes precisam ser utilizados em sete dias. É importante colocar a data em que o álcool foi colocado no frasco. Para repôr, é importante fazer uma higienização antes de inserir mais líquido. Se o álcool gel naquele recipiente não for utilizado durante uma semana, é necessário jogá-lo fora. Não se deve ‘jogar’ mais material em cima. Com a manipulação de várias pessoas e o sol, é possível que o frasco plorifere bactérias e, em vez de ajudar, pode até haver a contaminação de quem for higienizar as mãos”, explica.

Fatores que podem gerar contaminação no frasco

Outra orientação dada pela profissional, é que os fracos não devem ser expostos ao sol. “Se várias pessoas manipulam o frasco, não se deve enche-los totalmente. É necessário lavar os recipientes no mínimo uma vez por semana. Deve-se evitar a exposição ao sol”.

Quanto à limpeza de superfícies, Leandra explica que outros produtos podem ser utilizados. “Indico utilizar detergentes ou desinfetantes à base de quaternário de amônia. É importante também não esfregar no ‘vai-vem’. Tem que ser sempre no mesmo sentido: puxa de longo e trás para perto. Não se deve passar o pano duas vezes num local. Para higienizar os frascos, indico o hipoclorito de sódio, que nada mais é que água sanitária”.