Caso Tatiane Spitzner: defesa do réu abandona tribunal e júri é cancelado

Por UOL O julgamento de Luis Felipe Manvailer, acusado de matar sua mulher, a advogada Tatiane Spitzner, foi cancelado por

Por UOL

O julgamento de Luis Felipe Manvailer, acusado de matar sua mulher, a advogada Tatiane Spitzner, foi cancelado por volta das 12h50 desta quarta-feira (10), poucas horas após o início. Segundo o Tribunal de Justiça do Paraná, a defesa do réu abandonou o plenário, levando ao cancelamento do júri. Uma nova data será marcada, mas ainda não foi divulgada.

O juiz entendeu a atitude como “abandono injustificado” e aplicou multa de 100 salários-mínimos (ou R$ 110 mil) aos advogados.

O julgamento tinha previsão de durar dois dias e os sete jurados que iriam avaliar o caso já tinham sido sorteados. O abandono da sessão ocorreu quando os advogados de Manvailer solicitaram ao juiz a consulta de imagens em um HD externo. Diante do veto, eles se retiraram.

Na saída do fórum, o advogado do réu, Claudio Dalledone Júnior, disse para um grupo de jornalistas que houve um “cerceamento absurdo da defesa”. “A defesa foi proibida de veicular um material dentro dos autos. Isso é intolerável, o Estado democrático de direito não permite”, argumentou.

Na sequência, o advogado afirmou que os vídeos que iria apresentar são do circuito interno do prédio onde aconteceu o crime, já divulgados anteriormente.

Na ata da sessão, o juiz Adriano Scussiatto Eyng classificou como “correta” a aplicação da multa à defesa do réu, já que a postura dos advogados na sessão de hoje “consistiu em verdadeira afronta ao devido processo legal e à ampla defesa, paralisando a tramitação processual do feito e causando prejuízo ao réu e ao Poder Judiciário, ainda mais levando em consideração o julgamento pelo Tribunal do Júri (alimentação, transporte do preso, deslocamento de policiais, etc)”.

Na sequência, o magistrado salientou que a defesa não solicitou equipamento específico para “viabilizar a extração e acesso à integralidade das imagens contidas nos HDs apreendidos”. Segundo o juiz, não houve pedido para uso de equipamento desde novembro de 2020.

“Postura lamentável da defesa”, diz advogado da família

O advogado da defesa da família de Tatiane, Gustavo Scandelari, disse que a defesa “se queixou” por não poder transmitir um vídeo que não estava anexado ao processo. “O juiz, em novembro do ano passado, havia orientado a defesa sobre a inclusão desse vídeo.

A defesa não juntou ao processo e o juiz não permitiu, com base na lei, que esse vídeo, fosse apresentado no plenário. E a defesa abandonou o plenário”, disse.

“É uma postura lamentável da defesa, tanto é que foi multado em R$ 100 mil, pois gera prejuízos aos cofres públicos de toda a movimentação dos servidores, dos jurados, das testemunhas, de todos os envolvidos”, complementou Scandelari.

Ontem, a defesa de Manvailer já havia ingressado com um pedido para suspender o júri de hoje, o que não foi atendido. Os quatro advogados do réu alegaram falta de segurança no Fórum e imparcialidade dos jurados.

Na manhã de hoje, o réu foi recebido por protesto na chegada ao local. Um grupo, formado em sua maioria por mulheres, gritaram por “justiça” e ainda falaram “Tatiane, presente!” logo após a passagem da viatura com o réu.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail