Guarnições do Bope e do Choque, de Florianópolis, já estão em Criciúma

A ação orquestrada da quadrilha de assaltantes a banco, da modalidade “o novo cangaço”, levou terror nas últimas três horas.

O assalto a duas agências do Banco do Brasil no centro de Criciúma (SC) provocou terror na cidade na madrugada desta terça-feira. Além de rajadas de tiros, os criminosos fizeram barricadas com carros, espalharam explosivos e usaram reféns como escudo para evitar a aproximação de policiais. Segundo a polícia, os reféns foram soltos. Os bandidos fugiram e ninguém foi preso até o momento.

Os bandidos também incendiaram o 9º batalhão da PM (Polícia Militar) e o túnel que liga a cidade à vizinha Tubarão. Ao menos duas pessoas ficaram feridas na ação: um policial, que segundo a Polícia Militar foi levado para um hospital e está em estado grave, e um vigilante, ferido sem maior gravidade.

Após uma madrugada tensa, o momento é de levantamento em Criciúma.

Segundo a Polícia Militar, o cerco permanece montado e as guarnições do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Choque, de Florianópolis, já estão na cidade. O Bope da Brigada Militar do Rio Grande do Sul (RS) também está participando dos trabalhos.

Por volta de 2h30, a situação parece ter sido pacificada no município. Inclusive vídeos, com veículos possivelmente dos criminosos, alguns até de luxo, deixam a cidade em comboio.

Devido à mobilização policial, quem tem se manifestado com mais frequência é o prefeito Clésio Salvaro.

A ação orquestrada da quadrilha de assaltantes a banco, da modalidade “o novo cangaço”, levou terror nas últimas três horas.

Dezenas de criminosos, fortemente armados, cercaram a cidade, inclusive o 9º Batalhão de PM – alvo de diversos tiros -, provocaram explosões e incêndios a veículos, fizeram reféns e atiraram a esmo em diversos pontos e bairros. Roubaram cofres e caixas eletrônicas de agências bancárias. Um policial militar e um vigilante ficaram feridos.

“A cidade está respirando um pouco mais aliviada. A vida das pessoas em primeiro lugar. Se houvesse confronto e troca de tiros, a vida de inocentes poderia ser prejudicada. A polícia agiu de forma correta. Não se pode trocar bala, fogo cruzado, na área central da cidade, com apartamentos, pessoas. Foi surreal o que ocorreu com a nossa cidade”, avaliou o prefeito.

Além dos estilhaços, explosivos também foram deixados na área central, assim como dinheiro no chão, recolhido por várias pessoas.

Confira imagens do tiroteio 

 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail