Intercâmbio para o México: uma troca de culturas

A laranjeirense Heloise Novacoski Peres, viveu essa experiência ao embarcar para o México em 2017

Originalmente, eram viagens que dois estudantes de lugares diferentes realizavam “trocando” de país um com o outro, para vivenciarem o dia a dia de outra cultura, promovendo o intercâmbio de conhecimento. Hoje em dia, esse conceito já evoluiu bastante e um intercâmbio se tornou algo muito mais abrangente, uma experiência para adquirir conhecimentos de outras culturas.

A laranjeirense Heloise Novacoski Peres, de 21 anos, viveu essa experiência na prática por 11 meses quando fez seu intercâmbio para o México. Após o processo seletivo fez a escolha de ir para o país por relatos de outros intercambistas que já haviam o visitado e falado muito bem dele.

Documentos necessários

A estudante relata que houve um grande processo seletivo por parte do Rotary International, e que quando escolheu o país, ela teve que preparar o seu application, nove meses antes do embarque. Esse documento consiste em um inventário extenso sobre a vida da pessoa, e auxilia a família que vai hospedar o intercambista a conhecer um pouco mais sobre ele, relata. 

“Na mesma época precisei tirar meu passaporte e o visto. Alguns meses depois minha host family (família anfitriã) entrou em contato comigo e eu soube a qual cidade iria, então providenciei as passagens. Quis conhecê-los um pouco para posteriormente poder comprar as lembrancinhas, como havaianas, doces e comidas brasileiras, então fiz muitas perguntas sobre a família, também sobre a cidade e minha futura rotina com eles. Depois disso fui arrumar as malas, me despedir e embarcar”.

Experiência no México

A intercambista ressalta, que foi uma experiência extremamente enriquecedora e inesquecível para ela. “Me tornei mais independente e menos tímida e me senti muito acolhida porque os mexicanos são hospitaleiros. Morei em Zacatlán, estado de Puebla, uma cidadezinha muito bonita e turística pelas paisagens naturais, clima frio, neblina quase constante e produção de maçã com festividades temáticas no inverno. Eu tinha que ir para a escola normalmente, participava dos eventos do Rotary Clube da minha cidade e fiz algumas viagens com os outros intercambistas do distrito junto aos coordenadores”.

Despedidas

Heloise relata que quando o período de intercâmbio estava por terminar, as despedidas foram emocionantes. “Chorei muito de saudades da minha família, mas no final chorei mais ainda por ter que ir embora. Voltei pro Brasil apaixonada pela comida e cultura mexicana, fiz muitos amigos mexicanos e de outros países e agora consigo me comunicar facilmente em espanhol”.

Aproveite seu intercâmbio

Por fim ela indica o intercâmbio como uma forma de adquirir conhecimento e conhecer novas culturas, segundo ela a experiência te abre portas para o resto da vida, seja pelo idioma que você aprendeu, pelas pessoas que conheceu ou contatos que estabeleceu, então não importa o país que você vá, a experiência será muito rica. Não fique na zona de conforto, aproveite todas as oportunidades de conhecer algo novo e esteja sempre aberto a conversar com as pessoas para poder criar mais oportunidades e amizades. Não tenha vergonha de não se comunicar como um nativo, erros de comunicação fazem parte do aprendizado e depois te geram risadas. Tire muitas fotos e faça muitos registros, conclui. 

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail