Paraná e Mato Grosso assinam convênio para estudo de viabilização para construção de ponte

O EVTEA apontará as vantagens da implantação dessa nova travessia entre os estados e os impactos no desenvolvimento socioeconômico da região

Nesta segunda-feira (30), os governadores Carlos Massa Ratinho Junior e Reinaldo Azambuja, do Mato Grosso do Sul, assinaram um convênio para dar início aos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) para a construção de uma nova ponte de dois quilômetros entre os dois estados, ligando o distrito de Porto São José, em São Pedro do Paraná (PR), a Taquarussu (MS). O objetivo é melhorar o escoamento da produção agrícola e atrair novos investimentos. O valor do estudo é de R$ 3,2 milhões, bancado pela Itaipu Binacional.

A assinatura do documento foi realizada durante um encontro com autoridades dos estados no Palácio Iguaçu, em Curitiba. O EVTEA apontará as vantagens da implantação dessa nova travessia entre os estados e os impactos no desenvolvimento socioeconômico da região. A Sociedade Civil Organizada do Paraná (Socipar) é parceira da iniciativa.

“É um estudo complexo de R$ 3,2 milhões que vai demonstrar qual é o melhor traçado, o que tem menor impacto ambiental e o que é mais sustentável dessa nova ligação entre Paraná e Mato Grosso do Sul. Ao atravessar o Rio Paraná temos um potencial econômico muito forte para atender o Noroeste do Paraná tanto na parte turística, como na produção de alimentos. Essa nova rota vai diminuir em média 80 quilômetros de quem vem do Mato Grosso do Sul para o Paraná”, disse Ratinho Junior.

Use as teclas de seta esquerda ou direita ou arraste com o mouse para alterar a posição do gradiente. Pressione o botão para alterar a cor ou remover o ponto de controle.Use as teclas de seta esquerda ou direita ou arraste com o mouse para alterar a posição do gradiente. Pressione o botão para alterar a cor ou remover o ponto de controle.

Segundo o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, os estados que investem na agroindústria são os que mais crescem economicamente no Brasil e, consequentemente, têm demandado mais investimentos em logística. “Essa ligação de Porto São José ao Mato Grosso do Sul encurta caminho e abre uma nova fronteira de desenvolvimento na nossa região, além de integrar novamente os dois estados. Abrir esse caminho melhora o desenvolvimento e a logística, diminui custo e traz mais progresso e oportunidades”, disse.

“Estamos tentando exercer em toda a sociedade o papel da Itaipu, que não é só de produção de energia, mas de desenvolvimento social. Porto São José tem uma estação hidrológica onde as anotações do Rio Paraná serviram para o projeto inicial de Itaipu. Estamos retribuindo o que esse local trouxe para a Itaipu. Hoje estamos assinando um projeto que vai melhorar a rota bioceânica e diminuir o tempo de deslocamento para as pessoas”, completou o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Anatalicio Risden.

Luiz Felipe Carbonell, diretor de Coordenação da Itaipu, destacou a importância da atuação da binacional para criar um novo eixo de desenvolvimento regional e local. “Estamos investindo principalmente em infraestrutura. Nesse EVTEA, estamos viabilizando um novo eixo logístico entre os estados. A visão da Itaipu é de que podemos auxiliar o desenvolvimento socioeconômico e ambiental dessa região”, afirmou.

A ponte faz parte de um projeto ainda mais amplo, que inclui a duplicação da BR-376, conhecida como a Rodovia do Agronegócio Brasileiro, pela grande quantidade de caminhões que transportam a safra sul-mato-grossense passando pelo Paraná a caminho do Porto do Paranaguá. A estimativa de custo dessa obra é de cerca de R$ 350 milhões.

Expectativa local

Segundo o prefeito de Taquarussu, Clóvis do Banco, a ligação será um marco no desenvolvimento do município. “Como não temos ligação com outra cidade, ter essa possibilidade de ligação com o Paraná, que é uma região agrícola, vai ser um avanço muito grande. A nossa região também vai ganhar muito com a geração de empregos”, afirmou.

Para a prefeita de São Pedro do Paraná, Neila de Fatima Luiza Fernandes, a ponte também contribuirá para outras áreas, além do agronegócio. “Essa ligação entre Paraná e Mato Grosso do Sul vai fomentar o turismo regional, a agricultura e o comércio. Hoje foi dado um grande passo”, afirmou.

Heraldo Trento, prefeito de Guaíra, ressaltou que uma nova ponte mais ao Noroeste do Estado é fundamental para o desenvolvimento dos estados. A cidade já possui a Ponte Ayrton Senna com a vizinha Mundo Novo (MS). “Quanto mais pontes tivermos, encurtando distâncias e viabilizando o transporte de insumos, de produção agrícola e de produtos industrializados, mais favoreceremos os dois estados”, afirmou.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail