Quedas: incêndio continua colocando em risco a população

“Não se sabe se o incêndio foi proposital ou acidental” segundo o secretário do Meio Ambiente Rubens Drzindzik

A situação das queimadas que ocorrem desde domingo (26), em Quedas, continuam preocupando as autoridades e a população.

Segundo o secretário de Meio Ambiente, Rubens Drzindzik, são cinco frentes de combate ao incêndio hoje. “Não sabemos ainda se foi proposital ou acidental”.

Uma força-tarefa foi montada para conter as chamas, com ajuda de 22 pessoas (12 bombeiros militares e 10 brigadistas civis e voluntários) juntamente com seis viaturas (viaturas de combate do corpo de bombeiros e caminhões pipas das prefeituras) de Cascavel, Nova Prata, Francisco Beltrão e Espigão Alto do Iguaçu.

Fotos: Assessoria

Área atingida

Rubens ressalta que é difícil estimar qual área específica foi atingida, porém já passaram de 300 alqueires, o que equivale a 600 hectares de reserva queimada, havendo destruição parcial, e muitos animais mortos. “O fogo está se espalhando, e às vezes ele aumenta de 60 a 200 metros a labareda, numa altura de 20 a 30 metros. Quando atinge regiões de taquara, aumenta muito a proporção do fogo. Se torna quase como um combustível, e o que está ajudando também é a estiagem, o sol e a seca, então está difícil de combater”, disse ele.

Combate ao incêndio

Os bombeiros e brigadistas estão tentando combater o fogo em regiões que possuem aproximação até o lago da Usina Salto Osório. Alguns locais estão dificultando o trabalho, por serem de difícil acesso com morros, tramados de taquara e pedras pelo caminho. Sem contar que a disponibilidade de água está a uma distância de 700 metros.

“O combate está sendo manual com abafadores de fogo e máquinas costais”.

Comunidades atingidas

Conforme o secretário, as comunidades mais atingidas até o momento foram Palmital, Nova Esperança, Nossa Senhora Aparecida, Leonir Obach, Margarete e Linha Sinamão. “Esses moradores por serem de regiões próximas já perderam mangueiras de água e fiação, e em alguns casos plantações de soja e de milho. O maior cuidado dos bombeiros, tem sido com as casas próximas à reserva”.

Ainda nesta terça-feira (28) as equipes realizaram combates diretos e protegeram as residências de 23 famílias que tiveram suas propriedades ameaçadas pelo risco de incêndio.

Investigação

A polícia ambiental, a polícia investigativa, e a força verde estão investigando as possíveis causas do incêndio. E um inquérito foi aberto pela Polícia Federal para ajudar nas investigações.

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail