Secretário destaca importância da proteção do produtor rural em encontro nacional

O secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, participou nesta semana da 77ª Reunião Ordinária do Colégio Nacional dos Secretários de Segurança Pública (Consesp) em Goiânia (GO)

O secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, participou nesta semana da 77ª Reunião Ordinária do Colégio Nacional dos Secretários de Segurança Pública (Consesp) em Goiânia/GO. O encontro reuniu gestores da área da segurança pública de 24 unidades federativas e teve como objetivo discutir boas práticas e estratégias sobre segurança pública do meio rural.

“A proteção do morador do campo e do produtor agropecuário é uma prioridade do Estado, e, portanto, a modernização do policiamento no campo sempre está em pauta”, disse o secretário. “Diante do contingente populacional e da extensão do território do Brasil rural, esse encontro nacional ajudou a impulsionar o tema”.

Ainda segundo ele, foi possível compartilhar ideias e dirimir dúvidas. “Os produtores rurais são responsáveis pelo abastecimento do País com diversos produtos e por isso merecem atenção especial. Então, a partir de agora, pretendo levar as ideias do encontro para discussão com a diretoria da Secretaria para que, juntos, possamos, melhorar a segurança na área rural do Paraná”, destacou.

O secretário da segurança de Goiás, Rodney Miranda, anfitrião do evento, frisou que o objetivo era o intercâmbio ideias. “A reunião foi bastante profícua, pois a segurança rural por muito tempo foi deixada de lado, isso está mudando e precisamos agir mais rápido para que produtores tenham a merecida segurança pública”, afirmou.

O secretário da Segurança Pública do Tocantins e presidente do colegiado, Cristiano Barbosa Sampaio, foi o moderador das discussões. “Este é um momento muito importante para trocar experiências e fazer da segurança do Brasil ainda melhor, com a participação ativa de nossos secretários”, destacou.

Visitas técnicas

 A agenda dos secretários em Goiânia também contou com uma visita no Batalhão Rural e na Escola Superior da Polícia Civil, onde as autoridades puderam conheceu um pouco da realidade das duas instituições, por meio de explanações e exploração dos ambientes físicos.

“A intelectualidade na investigação policial começou em Paris há centenas de anos, mas queremos que ela seja amplamente reconhecida, uma prática diária em todos os locais do País”, disse o delegado Daniel Adorni, da Escola Superior da Polícia Civil. Também neste local foi destacada a importância da integração entre a Polícia Judiciária e a Polícia Militar e necessidade de aproximação com a comunidade rural.

Para Marinho, a visita in loco às unidades foi valiosa para o Paraná. “Estamos levando muita experiência, boas práticas, exemplos que podemos estudar”, avaliou.