Vale do Alecrim em Pinhão recebe certificado de livre da brucelose e tuberculose

Paraná possui 93 propriedades certificadas como livres das duas enfermidades e 17 em processo de certificação

O Vale do Alecrim, propriedade rural em Pinhão, recebeu o certificado de livre da brucelose e tuberculose, duas doenças que atingem bovinos e que provocam perdas, sobretudo, em produtividade leiteira. O primeiro certificado da Unidade Regional de Sanidade Animal de Guarapuava (URS) foi entregue semana passada à produtora Angelita Aparecida Freski Surkamp.

A propriedade

Em 13 hectares, a família Surkamp mantém 52 cabeças de vacas, das quais 33 lactantes, com o objetivo de produção de leite e manutenção da agroindústria de queijos. Segundo Angelita, as orientações técnicas dos servidores do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR) e da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) foram fundamentais tanto para a melhoria na produção quanto para a conquista da certificação.

A produção é de 550 a 600 litros por dia. Aproximadamente 180 litros vão para a queijaria da família e o restante é entregue ao laticínio. Os produtos têm o registro no Serviço de Inspeção Municipal (SIM) e são vendidos na cidade, mas Angelita quer ir mais longe.

Assim que o processo de adesão do município ao Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf) for encerrado, ela pretende ser uma das primeiras a se engajar e poder vender em todo o Paraná. “Os produtos são muito procurados até por outros estados, têm boa aceitação”, disse a proprietária.

Uma das exigências para ter o selo é estar livre da brucelose e da tuberculose animal. “Estamos há muitos anos na atividade leiteira sempre com muita dedicação, muita responsabilidade, seguindo e colocando em prática todas as orientações e exigências que a lei sanitária do estado e do município impõe tanto na vacinação, quanto nos exames dos animais e nos cuidados com a propriedade”, afirmou

Segundo ela, a certificação e o futuro selo do Susaf agregam valor aos produtos, devem fomentar ainda mais o negócio e aumentar a renda, inclusive na venda de animais com matrizes e novilhas. “É uma recompensa por 20 anos que nos dedicamos a esse serviço. Espero que o certificado seja um incentivo para que mais produtores façam a adesão para estar livres dessas doenças”, convocou.

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail