Valor do IPVA 2022 dispara: parcelar ou pagar à vista?

A péssima notícia para o planejamento financeiro chegou e bagunçou a conta de muitos brasileiros; especialista dá dicas de preparo e pagamento

Péssima notícia para o planejamento financeiro: o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que deve ser pago até o dia 31, está entre 20% e 30% mais caro este ano, o que têm bagunçado as contas dos brasileiros. Além disso, neste mês também é cobrado o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Mas como fazer para pagar essa triste “surpresa”?

Segundo Reinado Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, o ponto principal é a organização. Principalmente no que se refere ao IPVA. Isso porque, por mais que os descontos possam ser diferentes de uma cidade para outra, sempre são interessantes e, neste ano, com a alta, muitas vezes os descontos também estão sendo maiores para quem paga à vista.

Para o morador de Laranjeiras do Sul, Lucas Saveiro, o valor cobrado foi um susto, e ele ainda não decidiu como irá pagar. “Não havia me preparado e o preço cobrado está muito mais alto do que no último ano. Sem sombra de dúvidas vou ter que pagar parcelado”, contou.

Infelizmente, o despreparo é um fator muito comum e a maior parte das pessoas não utilizam os descontos, o que culmina por repetir o ciclo de dificuldades financeiras. “Mas não precisa ser assim, é possível pagar esses valores sem dívidas. O grande erro está em não programar seu pagamento com antecedência. Está certo que 2021 foi um ano difícil, mas isso é necessário planejamento para a situação não piore”, destacou Reinaldo.

Ele diz que a dificuldade financeira ocorre porque a maioria das pessoas não traçam um planejamento anual, o que culmina em um início do ano difícil, já que no período há também gastos com matrícula e material escolar, entre outros.

À vista ou parcelado?

Uma dúvida muito comum em relação ao IPTU e ao IPVA é sobre a condição de pagamento: é melhor à vista ou parcelado? Antes de ter essa resposta, é preciso saber em que situação financeira você se encontra: endividado, equilibrado financeiramente ou investidor.

“Se for a primeira ou segunda opção, dificilmente conseguirá fazer o pagamento à vista, restando o caminho do parcelamento. Lembrando que se deve evitar ao máximo recorrer a empréstimos, limites do cheque especial ou qualquer outra maneira de crédito do mercado financeiro, pois isso apenas se tornaria uma bola de neve, devido aos juros altíssimos cobrados”, explicou o diretor.

Caso a situação financeira esteja mais confortável, tendo uma reserva financeira, é recomendado que o pagamento seja feito à vista. Cada estado pratica o próprio desconto, mas, em média, o contribuinte obterá 3% de desconto no IPVA e 4% no IPTU. Contudo, existem casos que podem chegar a 10%.

“É importante lembrar dos compromissos futuros; muitas pessoas se deixam levar pelo bom desconto e acabam esquecendo que haverá outras contas a serem pagas naquele mesmo mês ou nos próximos. Portanto fique atento: não adianta pagar à vista e conseguir desconto em uma despesa e não ter dinheiro suficiente para quitar as outras”, adiciona ele.

Isso nos leva a outro importante aspecto da educação financeira: ter uma reserva financeira. Isso evita problemas como esse e nos deixa mais seguros, em caso de imprevistos. Enfim, com planejamento, é possível terminar e começar o ano com segurança de uma vida financeira saudável e muitas realizações.

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail