Vice-prefeito Scarpari foi a Curitiba acertar detalhes da criação do novo consórcio

Quando efetivado contemplará 20 municípios da região e serviços que hoje só estão disponíveis na capital, serão oferecidos em Guarapuava ou até mesmo em Laranjeiras

O vice-prefeito Valdemir Scarpari, esteve em reunião na Secretaria de Estado da Saúde (SESA), com o secretário Beto Preto e outros prefeitos da região. A criação do novo consórcio de saúde que contemplará 20 municípios foi o assunto.

A partir da efetivação desse consórcio, muitos serviços que hoje só estão disponíveis na grande Curitiba, serão oferecidos em Guarapuava no Centro de Especialidades Médicas recém-construído pelo Governo do Estado, ou até mesmo em Laranjeiras, como é o caso do SAMU. A Assiscop, que é o consórcio microrregional continuará ativo.

Em entrevista exclusiva ao Correio do Povo, o vice-prefeito disse que será feita a junção dos quatro consórcios da região, que se tornará um só, mas apenas para administrar as sedes, os atendimentos continuam todos da mesma forma. “A Assiscop que será nossa subsede, terá mais ofertas de exames, consultas, além de baratear os custos”, explicou Scarpari.

Segundo ele será feita uma chamada de preços geral para todos os 20 municípios, então aumentará o número de exames e consultas e os municípios pagarão menos. “Hoje os 20 municípios se dividem em quatro consórcios diferentes, que se juntarão formando apenas um, com um único custo administrativo, com isso será possível aumentar ainda mais os exames e consultas”.

Esse consórcio vai comandar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), pois a única região do Paraná que ainda não possui é a 5º regional de Saúde de Guarapuava que abrange os 20 municípios. “A cidade de Guarapuava tem um SAMU próprio, mas agora estarão conosco, e atenderá a regional”, afirma o vice-prefeito.

Scarpari explica que Laranjeiras do Sul e Pitanga terão uma base avançada com uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) móvel, com médicos, além de Guarapuava onde terá a central com duas unidades.

Já os municípios menores na faixa de 10 mil habitantes será um pouco diferenciado. “Esses municípios possuirão uma ambulância SAMU básica, se acontecer qualquer coisa, eles procuram nossa base avançada e serão encaminhados para onde tiver vagas”, ressalta.

Vantagens

Conforme Scarpari, a grande vantagem de se ter SAMU é que se não houver vaga de UTI no município, ele leva onde tiver, seja qual for a especialidade. “Automaticamente terá a vaga em qualquer lugar do paraná. E para ter o SAMU precisa possuir esse consórcio único que vai administrar o centro de especialidades que é uma obra de R$ 10 milhões que foi feito pelo ex-governador Beto Richa, e mais R$ 4 milhões em equipamentos”.

Hoje quando existe a necessidade de consultas com especialistas, os pacientes são levados a Curitiba e Campo Largo e como muitos sabem é necessário sair de Laranjeiras por volta de meia-noite. “Tudo isso terá em Guarapuava, o que irá reduzir também os custos com viagens e trará  facilidade e comodidade para os pacientes para os pacientes”, diz.

Mesa diretora

No próximo dia 6 de maio, será feita uma reunião ampla em Guarapuava com os 20 municípios para definir o presidente do consórcio. Terá a participação do secretário estadual de Saúde, Beto Preto. “Nessa reunião será eleita a nova mesa diretora e assim colocaremos em prática o quanto antes”.

“Aumentaremos as consultas de novas especialidades, como: reumatologista, urologista, nefrologista, aumentaremos a oferta de oftalmologista, otorrinolaringologista e cardiologista que tem uma fila enorme, além dos exames como ultrassom, tomografia e ressonância, que a partir do momento que tiver o consórcio único os preços serão bem menores”, finaliza Scarpari.