YouTube proíbe Monark de criar novo canal após falas sobre nazismo

Em uma publicação em sua rede social, ele divulgou o e-mail que recebeu do YouTube dizendo que seu canal pessoal será desmonetizado

O YouTube proibiu o podcaster Bruno Aiub, mais conhecido como Monark, de criar um novo canal na plataforma. A decisão foi tomada em resposta às falas do jovem que disse apoiar a criação de um partido nazista no Brasil, durante um episódio do Flow Podcast transmitido em 7 de fevereiro.

O assunto foi revelado nesta sexta-feira (18) pelo próprio Monark no Twitter. Em uma publicação em sua rede social, ele divulgou o e-mail que recebeu do YouTube dizendo que seu canal pessoal será desmonetizado.

“A partir do momento em que esta medida for aplicada, você não terá mais acesso às ferramentas e funcionalidades de monetização, o que inclui o suporte online a criadores de conteúdo. Enquanto a suspensão permanecer, você não poderá criar um novo canal ou se utilizar de um canal de terceiros para burlar as restrições […]”, diz trecho do informe.

O comunicado salienta, em sua parte inicial, que a decisão foi tomada porque “responsabilidade é prioridade máxima para o YouTube”. O site do Google disse entender que os criadores devem ter cuidado e responsabilidade com a própria influência.

“Dessa forma, preocupam-nos as recentes declarações relacionadas ao nazismo em um dos seus canais, que podem causar danos significativos à comunidade e que, além disso, violam nossas políticas de Responsabilidade do Criador de Conteúdo”, diz outro trecho.

Youtube relata ser perseguido

Além do e-mail que recebeu do YouTube, Monark publicou uma mensagem dizendo que está sofrendo “perseguição política”. Ele também afirmou que a “liberdade de expressão morreu”.

Em outra postagem, o youtuber enviou um vídeo onde reconhece que realizou comentários infelizes durante o episódio do Flow Podcast, mas se defende dizendo que não estava mal-intencionado e que não defendeu nenhuma ideologia extremista.

Monark diz que sofreu as consequências, citando sua saída da empresa dona do Flow Podcast e do próprio programa, e complementa afirmando que “não acabam as retaliações” contra ele.

“Parece que pessoas muito poderosas querem me destruir completamente. E eu preciso da ajuda de vocês porque isso não é justo. Eu errei, mas as consequências estão muito fora de proporção. Estão literalmente tentando acabar e aniquilar com a minha vida”, argumentou.

Outras investigações

O criador de conteúdo também está sendo investigado pela Procuradoria Geral da República (PGR) por suposto crime de apologia ao nazismo. O episódio do Flow Podcast em que Monark realiza os comentários já foi apagado do YouTube.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail