Paiçandu Futsal quer ser gigante tal qual o xará de Belém do Pará

Se você aprecia o futebol brasileiro e acompanhou a Série Bronze do Campeonato Paranaense de Futsal de 2020, deve ter

Se você aprecia o futebol brasileiro e acompanhou a Série Bronze do Campeonato Paranaense de Futsal de 2020, deve ter notado que uma equipe das quadras lembra um gigante dos gramados do Norte do Brasil: Paiçandu

Embora tenha a semelhança no nome com o Papão da Curuzu, de Belém do Pará, que na realidade é “Paysandu“, a nomenclatura do time está ligada ao município-sede. Nada tem a ver com o clube famoso. A palavra Paiçandu, inclusive, é oriunda do Tupi e significa “padre santo”. 

“Por incrível que pareça, as pessoas de outros municípios ainda não nos fazem perguntas ou alusão ao Paiçandu do Pará, mas acredito que com a consolidação do nosso clube isso será frequente”, diz o técnico Rafael Almeida.

A primeira vez de Paiçandu no futsal 

O Paiçandu do Paraná também tem o azul como cor principal

A cidade de Paiçandu, na Região Metropolitana de Maringá, possui 60 anos e uma população estimada em 41 mil habitantes, segundo os números de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

No ano passado, o município foi representado pela primeira vez em sua história no estadual de futsal. Mesmo disputando a competição com atletas da cidade, que não recebiam para atuar, o time passou da 1ª fase e terminou a competição em 9º entre 18 integrantes.

Para o treinador, o desempenho foi surpreendente e suficiente para esboçar na terceirona de 2021 voos mais altos. “Vamos contratar alguns reforços pontuais, vindos da região. Mais na metade do Campeonato, pretendemos também, através de patrocínio, conseguir pagar algum valor por jogo aos atletas”. 

Paiçandu, referência da região

Rafael Almeida é o técnico do Paiçandu. Foto: Reprodução

O técnico acredita que a Série Bronze de 2021 terá um nível de disputa acima em relação à temporada anterior. “Existe novamente uma grande expectativa de equipes participantes, mas como a pandemia segue, já sabemos de algumas existências”.

E se nos últimos anos o futsal do Paraná tem sido dominado – em números de equipes e conquistas – pelos clubes das regiões Oeste e Sudoeste, o Norte-Central aos poucos vai marcando presença considerável. Junto do Paiçandu, no ano passado, Itambé disputou a terceirona e neste ano devem se juntar a eles Doutor Camargo, Paraíso do Norte e o tradicional Grêmio Maringá

“De certa forma, acredito que influenciamos, com nossa participação, outros municípios da região a criarem um time. Estamos trabalhando para consolidar o clube e jogar em breve uma Série Prata, quiçá um dia a Liga Nacional”, diz.

A Bronze de 2021

O prazo final de inscrição para a Série Bronze termina na sexta-feira (19). O arbitral da competição, que ainda não tem previsão de início, está agendado para o dia 24 de março.